A Igreja NÃO irá para o céu!

A Eternidade NÃO será no CÉU, Igreja!

Um dos maiores erros teológicos já propagados, que já ficou tão famoso e conhecido que até parece que é bíblico, é a crença de que o crente passará a eternidade no Céu, o famoso “morrer e ir para a glória”. Contudo, em lugar nenhum as Escrituras dizem ou deixam entender que o salvo irá passar a eternidade no Céu. O que elas ensinam é que Deus fará uma nova terra, que não servirá de enfeite, mas para ser habitada:

“E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe” (Apocalipse 21:1)

“Porque, eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá mais lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão” (Isaías 65:17)

“Porque, como os novos céus, e a nova terra, que hei de fazer, estarão diante da minha face, diz o Senhor, assim também há de estar a vossa posteridade e o vosso nome” (Isaías 66:22)

“Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça” (2 Pedro 3:13)

Se a primeira terra Deus “não a criou sozinha, mas a formou para que fosse habitada” (Is.45:18), quanto mais a nova terra, que é a terra transformada para que seja a habitação dos santos! Se o homem vive hoje na terra e Deus fará uma nova, só pode ser porque viveremos na nova terra no futuro. Isso porque a cidade celestial de que tanto falamos de fato está no Céu hoje, “preparada” para o dia em que será habitada pelos santos (Hebreus 11:16), mas descerá do Céu para ser habitada pelos remidos aqui na nova terra:

“Eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido” (Apocalipse 21:2)

Portanto, não somos nós que subimos e vamos habitar na cidade celestial, é a cidade celestial que desce para a nova terra! E o verso 3 complementa essa ideia, dizendo:

“Ouvi uma forte voz que vinha do trono e dizia: ‘Agora o tabernáculo de Deus está com os homens, com os quais ele viverá. Eles serão os seus povos; o próprio Deus estará com eles e será o seu Deus’” (Apocalipse 21:3)

Como vemos, não são os homens que estarão com Deus no Céu, é Deus quem estará com os homens na terra! O tabernáculo de Deus, que hoje se encontra no Céu, futuramente estará “com os homens”, isto é, aqui na terra. Foi por isso que Jesus disse que os pobres herdarão a terra, e não o Céu:

“Bem-aventurados os humildes, pois eles receberão a terra por herança” (Mateus 5:5)

Jesus não disse que a herança futura dos justos será habitar no Céu, mas a terra! É evidente que todas essas passagens não se aplicam apenas ao milênio, mas a todo o período eterno. Apocalipse 21:1-3 é pós-milenar, e fala de coisas que acontecerão após o milênio. Mateus 5:5 não é uma referência apenas a um período de mil anos, mas ao período eterno, pois Jesus retirou tal citação do Salmo 37:29, que diz:

“Os justos herdarão a terra e nela habitarão para sempre” (Salmos 37:29)

Não diz que os justos herdarão a terra por mil anos e depois irão para o Céu, ou que irão para o Céu imediatamente após a morte, mas que herdarão a terra para sempre. Por incrível que pareça, alguns imortalistas tem a ultrapassada ideia de que nós estamos hoje na terra, vamos para o Céu após a morte, voltamos para a terra no milênio e depois voltamos de novo para a eternidade no Céu! Essa confusão imortalista não tem base bíblica alguma, pois as Escrituras são claras em relatar que a herança do justo é a terra, que será transformada na criação da “nova terra” prometida por Deus.

A esperança dos judeus da época de Cristo sempre esteve baseada na crença do Reino de Deus vindo, ou seja, de Deus um dia estabelecer Seu Reino de forma visível aqui na terra, onde passaremos a eternidade. Isso fica claro quando vemos a esperança que José de Arimateia tinha a este respeito:

“José de Arimatéia, membro de destaque do Sinédrio, que também esperava o Reino de Deus, dirigiu-se corajosamente a Pilatos e pediu o corpo de Jesus” (Marcos 15:43)

Os judeus estavam esperando o Reino de Deus vir a eles, e não que eles mesmos fossem ao Reino de Deus na morte. É por isso que o próprio Senhor Jesus disse:

“Pois eu lhes digo que não beberei outra vez do fruto da videira até que venha o Reino de Deus” (Lucas 22:18)

Na oração modelo do Pai Nosso, ele nos ensinou a orar: “venha o teu Reino, seja feita a tua vontade…” (Mateus 6:10). Quando oramos pedindo que “venha o teu Reino”, não estamos pedindo a vinda apenas de uma pessoa (segunda vinda de Cristo), mas de um Reino. Esse Reino que virá nada mais é senão aquele mesmo Reino que João viu descer dos céus e se estabelecer na nova terra no Apocalipse (Apocalipse 21:2), que é chamado de “a nova Jerusalém”. Jesus não orou para que ele voltasse, nem disse “venha o teu Filho”, mas que viesse o próprio Reino, em sua forma física e visível, como viu João e como esperavam os judeus.

Isso explica o porquê que vemos tantas vezes no Novo Testamento a menção de que “o Reino de Deus está próximo” (cf. Lucas 10:9; 10:11; 21:31; Marcos 10:15), que quer dizer que esse Reino de Deus está chegando, que já está perto a hora em que o Reino chegará e será estabelecido aqui na terra. O Reino de Deus já havia chegado em sua forma espiritual (cf. Lucas 11:20), pois ainda não era o tempo de vir em sua forma visível (cf. Lucas 17:20), uma vez que em sua forma visível ele ainda não havia chegado, mas estava “próximo” (cf. Lucas 10:9; 10:11; 21:31; Marcos 10:15), sendo estabelecido somente após o milênio (cf. Apocalipse 21:1-3).

Foi por isso que, ao chegar em Jerusalém, Jesus teve que “contar-lhes uma parábola, porque o povo pensava que o Reino de Deus ia se manifestar de imediato” (cf. Lucas 19:11). Aquelas pessoas acreditavam que já estava na hora do Reino de Deus se manifestar em sua forma visível, da Jerusalém celestial descer do Céu e do período eterno ter início, e por isso Jesus teve que contar uma parábola em que dizia que somente iria voltar “depois de muito tempo” (cf. Mateus 25:19). A crença não era de morrer e ir para o Céu no momento da morte, mas se baseava na expectativa do estabelecimento visível do Reino de Deus aqui na terra, por toda a eternidade.

Quando Deus criou o homem originalmente, ele não o criou no Céu, mas na terra. Portanto, seria mais condizente que, na restauração de todas as coisas (cf. Mateus 19:28), o padrão original de Deus para com a Sua criação fosse restabelecido com o homem em um Paraíso terreno. Adão e Eva foram criados na terra em um lugar específico, chamado “Jardim do Éden” (cf. Gênesis 2:15), mas foram expulsos de lá com a entrada do pecado no mundo, de modo que hoje esse Paraíso se encontra com Deus no Céu (cf. Gênesis 3:23,24; Ap.22:2,17).

Então, o que acontecerá quando houver a restauração de todas as coisas, quando o pecado for finalmente expulso do mundo? Esse Paraíso irá descer do Céu e voltar para a posse dos seres humanos regenerados (cf. Apocalipse 21:2), assim como eram Adão e Eva antes do pecado. Seria incoerente que Deus tenha criado o homem originalmente na terra para que na restauração do modelo original fosse mudado para o Céu. Nenhum escritor bíblico jamais expressou desejo de ir para o Céu, o que eles almejavam era uma vida eterna. O Reino dos céus é o Paraíso celestial que hoje se encontra no Céu, mas que descerá para a terra após o milênio (cf. Apocalipse 21:1-3).

Ao partirmos desta vida, nos encontraremos com Cristo no juízo após sermos ressurretos, e logo então ocorrerá o reencontro com os santos vivos arrebatados, junto a Jesus nos ares. Cristo vem com os seus santos (cf. 1Tessalonicenses 4:14) porque estes santos foram ressuscitados primeiro (cf. 1Tessalonicenses 4:16). Então, após o encontro entre os santos vivos arrebatados e os mortos ressurretos, o Senhor descerá à terra para estabelecer seu Reino milenar, quando a terra desfrutará de mil anos de paz.

Em seguida, haverá a ressurreição dos ímpios (cf. Apocalipse 20:5), que se reunirão e marcharão contra o Cordeiro e os santos na cidade de Jerusalém (cf. Apocalipse 20:8), e serão devorados pelo fogo consumidor que cairá do Céu (cf. Apocalipse 20:9). Neste momento, todo o Universo é transformado pelo poder regenerador de Deus, novos céus e nova terra são feitos, e a cidade celestial, o Paraíso que estava no Céu, descerá para a nova terra, onde habitaremos para sempre com o Senhor. Toda essa visão também é compartilhada até mesmo por muitos pastores, que nem sempre tem coragem suficiente para admitir isso, pois seria negar um mito histórico que é a crença de morrer e ir para o Céu, que não possui qualquer respaldo bíblico.

Estar com Cristo é diferente de ir para o Céu, pois estaremos com Cristo ressurretos no juízo, e não incorpóreos em um estado intermediário. Reino de Deus ou Reino dos céus também não é a mesma coisa do Céu em si. Quando a Bíblia fala do Reino de Deus, ela pode estar se referindo simplesmente ao Evangelho (cf. Marcos 4:11; 4:26; Lc.4:43; 8:1; 8:10; 9:11; 9:60), ou também ao Reino dos céus, que se refere ao Reino que hoje está no Céu, mas que descerá para a nova terra prometida após o milênio, quando a cidade celestial descer do Céu e o próprio tabernáculo de Deus estiver com os homens (cf. Apocalipse 21:3).

Sendo assim, quando Cristo disse em Mateus 5:3 que “bem-aventurados são os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos céus” (Mateus 5:3), ele não estava entrando em contradição com aquilo que ele mesmo disse apenas dois versos depois, de que “bem-aventurados são os humildes, pois eles receberão a terra por herança” (cf. Mateus 5:5), nem tampouco estava dizendo que os humildes teriam um destino eterno diferente do destino dos pobres de espírito, porque o Reino dos céus de que ele falava descerá à terra para habitarmos nela para sempre. Sendo assim, habitaremos na Jerusalém celestial (Reino dos céus, pois é onde está ainda) estabelecida sobre a nova terra. É por isso que a nossa maior esperança, como diz Pedro, não é de morrer e ir para o Céu como a igreja atual em sua maioria ensina, mas de que, “de acordo com a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, onde habita a justiça” (2Pedro 3:13).

E é por isso também que o apóstolo Paulo disse:

“Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo” (Filipenses 3:20)

Note que Paulo não disse que nós vamos para o Céu, mas que a nossa pátria está nos céus. Essa cidade, que Paulo diz que está hoje no Céu, descerá por ocasião do fim do milênio, como diz João (cf. Apocalipse 21:2), se estabelecendo na nova terra. Paulo completa o pensamento dizendo que de lá (do Céu) nós também esperamos o Salvador Jesus Cristo. Esse “também” colocado aqui pelo apóstolo liga esses dois acontecimentos, a descida de Jesus à terra e a descida da cidade celestial à terra. Não é apenas Jesus que irá vir à terra, mas também Jesus. Diante do contexto, esse “também” está relacionado à “nossa cidade que está nos céus”, a nova Jerusalém celestial. Portanto, a crença de Paulo não era em morrer e ir morar no Céu para sempre, mas era a expectativa da volta de Cristo e da descida de cidade santa na nova terra prometida.

Infelizmente, a partir do momento em que a mentira da imortalidade da alma começou a ganhar força nas igrejas cristãs, essa realidade foi completamente distorcida e deturpada. As pessoas de hoje em dia oram dizendo “venha o teu Reino” sem saber o que isso significa. Têm em mente aquela versão popular da vida após a morte, onde a expectativa do cristão é baseada na ilusão de se estar no Céu em um estado incorpóreo entre a morte e a ressurreição, e não na visão realista bíblica da vida corpórea e terrena após a ressurreição. Toda uma teologia escatológica bíblica sólida foi destruída para dar lugar a um conto de fadas, onde espíritos flutuam nas nuvens do Céu tocando flautas e conversando com os anjos, ao invés do realismo bíblico onde a vida futura se dá através da ressurreição de um corpo físico, para habitar em uma nova terra física, embora transformada do pecado e dos pecadores.

Quem tem ouvidos para ouvir, OUÇA!

Veja Artigos relacionados clicando aqui.

Fonte:
BANZOLI, Lucas. “A Lenda da Imortalidade da Alma”.

16 Comments

  1. Pr. Ronaldo Amorim

    Paz meu irmão. Vc disse que abitaremos em um corpo físico e em uma cidade aqui na terra. Tenho duas perguntas: na sua visão seremos eternos?. E quanto a Jerusalém em Israel, ela será destruída ou terá duas Jerusalém?.

    • Evangelho Perdido

      Olá, Pr. Ronaldo!

      Depois da ressurreição, teremos corpos glorificados, como o de Jesus. E, sim, seremos eternos. A morte será vencida DEFINITIVAMENTE!

      A Nova Jerusalém descerá sobre a atual. Creio que a Nova ficará suspensa, sobre a atual.. Ou descerá exatamente em cima da atual e a anterior deixará de existir. Na verdade é um detalhe, né? Vamos ver como será quando ocorrer. Não vejo a hora de presenciar esse momento. E o irmão?

      Um abraço carinhoso.

  2. Pr. Nildo Vasconcelos de Souza

    I Tessalonicenses 4:17
    17 – Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos (sempre com o Senhor.)

    • Evangelho Perdido

      Olá, pr. Nildo!

      O texto apresentado por você não contraria em nada o artigo sobre a eternidade não ser no céu. No arrebatamento a igreja encontrará Cristo NOS ARES, que não se trata do céu onde Deus habita e de onde descerá com a Nova Jerusalém. Estaremos para sempre com o Senhor após o arrebatamento, com certeza. A questão é: Estaremos para sempre com o Senhor onde?.

      Sugiro que leia todos os artigos do link abaixo, pois clareiam em detalhes toda essa questão:
      http://www.evangelhoperdido.com.br/category/a-igreja-nao-ira-para-o-ceu/

      Um abraço carinhoso.

      Cris

  3. Jefferson

    Bom, gostei do blogue pois a Palavra Sagrada está como o fundamento de cada explicação, porém eu acredito também no que Ela diz que “num abrir e piscar de olhos seremos transladados e os mortos ressucitarão primeiro depois nós os vivos seremos transformados ao ressoar da ultima trombeta seremos levados aos céus em corpo glorificado…me explique esse texto sobre o arrebatamento.

    • Evangelho Perdido

      Olá, Jefferson!

      Vamos ler os textos que você citou, juntos na mesma frase, agora separados:

      “Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.” (1 Coríntios 15:52)

      “Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.” (1 Tessalonicenses 4:15-17)

      Em seu comentário, a parte que preciso esclarecer para você é: “seremos levados aos céus em corpo glorificado”. A Bíblia fala que seremos transformados (glorificados), sim, num abrir e fechar de olhos. Mas não diz que, após o arrebatamento seremos levados para o céu no sentido que você pensa. O texto diz: “seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.”…. Assim que nos encontrarmos com Jesus nos ares, seguiremos para Jerusalém, pois Israel estará cercada por nações (Gogue e Magogue). Assim que essas nações forem destruídas, Satanás será preso e Jesus e os santos iniciarão o Reino Milenar (Milênio). Ao final do milênio e quando todos os inimigos estiverem sido vencidos pelo Cordeiro e a igreja, Deus mesmo descerá do céu, com a Nova Jerusalém.. e habitará entre os homens. A Bíblia não diz que nós iremos para o céu e habitaremos com Deus. Mas que ele descerá e habitará conosco.

      Segue abaixo um link com vários artigos sobre o arrebatamento e o Milênio que podem esclarecer muitas coisas sobre isso que falei:
      http://www.evangelhoperdido.com.br/category/arrebatamento-dos-santos/

      Um abraço carinhoso.
      Cris

  4. rodrigo bosco

    ola irmã, tudo bem??
    gosto muito de suas publicações e espero que continue!!
    agora uma dúvida
    no texto de apocalipse 20:4 diz que “reinaremos com cristo durante mil anos ”
    como fica isso?? sera no ceu??
    no aguardo

  5. Irmã tenho lhe acompanhado no seu blog (canal) os seus temas abordados tem chamado a minha atenção e tem mim deixado confusos ñ pelo fato como vc explica mas como mim foi talvez explicado; eu mim congrego em uma denominação que ensina que Jesus voltará e nos levara para o ceu e passaremos lá os mil anos só apois o milênio desceremos com Ele e a cidade santa, por favor minha irmã tenha paciência comigo e me explique de uma forma mais detalhada esse assunto.Paz no Eterno.

    • Evangelho Perdido

      Olá, irmão Joran!

      Eu sei que te explicaram assim. A maioria da cristandade de nossa geração receberam vários ensinos contrários a Palavra. E isso foi profetizado. Estamos no tempo da apostasia, ou seja, um tempo onde vários ensinos contrários estão inseridos na Igreja.

      Não tenho como ser mais clara para o irmão do que está exposto nos artigos, mas vou tentar fazer um breve resumo. Nos artigos que postei no blog fui bem detalhada e mostrei na Palavra o que realmente foi ensinado pela Igreja primitiva e não chegou correto para nós.

      Jesus voltará, sim. E creio que não vai demorar. Mas ele não vai levar a igreja para o céu, mas reinará na terra por mil anos após a sua volta, sobre todas as nações, juntamente com o filhos vencedores e que ressuscitaram na primeira ressurreição. As nações na terra estarão sob o reinado de Cristo e dos santos por mil anos. Ao final desse período, satanás será jogado no lago de fogo e haverá o julgamento final. Todas as demais pessoas que não ressucitaram na primeira ressurreição, ressuscitarão após o milênio para o julgamento. Uma parte de pessoas será absolvida no julgamento e outra parte será condenada e lançada também no lago de fogo, como satanás foi.

      Após o milênio e o julgamento, todo o mal terá sido RETIRADO na terra. Aí então, a terra será completamente restaurada, tornando-se nova… Após isso, a nova jerusalém descerá e a glória de Deus virá com ela. Descerá sobre a antiga Jerusalém. Os santos e Jesus reinarão a terra a partir da Nova Jerusalém, mas Deus será o REI. Jesus e santos serão o governo sobre as nações e farão tudo que o grande REI orientar.

      Para ler mais artigos sobre o céu, clique no link abaixo:
      http://www.evangelhoperdido.com.br/category/a-igreja-nao-ira-para-o-ceu/

      Um abraço carinhoso,

      Cris

      • Obrigado irmã pela sua resposta fiquei muito agradecido e feliz pela sua atenção tão carinhosamente nas suas orações coloque o meu nome que o Eterno continue te abençoando.

    • Dário Ferreira do Nascimento

      Paz e graça, minha irmã! Eu entendi que nós estaremos, após os mil anos, morando a eternidade aqui nesta terra totalmente transformada, pois João é bem claro no texto de apocalipse: “Então vi novo céu e nova TERRA onde o mal não mais existe…”

  6. Rogerio

    Achei esse site ontem e não consigo parar de ler os riquíssimos conteúdos aqui apresentados… Concordo plenamente com o comentário acima que a partir da leitura de tuas explanações. Muitos textos bíblicos de difícil adaptação nos contextos atuais são esclarecidos de forma clara e objetiva…. Que o Eterno continue te usando para auxiliar os que procuram pela verdade da Palavra.

  7. Rômulo da Silva Costa

    Gostei muito das suas explicações e concordo plenamente. Se Deus quisesse que o homem fosse morar eternamente no Céu, porque Ele o criou aqui na terra? Segundo a própria Bíblia, em Isaias 45:18 – “Porque assim diz o Senhor, que criou os céus, o Deus que formou a terra, que a fez e a estabeleceu; que não a criou para se um caos, mas para ser habitada: Eu sou o Senhor, e não há outro.”

    Se vamos para o céu, quem a habitará?

  8. Muito bom! Abriu mais meu entendimento. Parabéns.

  9. Graziela almeida

    Muito bom, a Igreja atual esta precisando ouvir isso e parar de achar que o paraiso e assim que morremos e que as coisas vao continuar a mesma aqui na terra.

  10. Gerailton Cavalcante Bernardo de Carvalho

    Este estudo, embora contradiga tudo que já ouvi sobre o tema, é tão maravilhoso quanto se pode ser. A Verdade é conhecida quando exposta. Este estudo é convincente e faz todo sentido possível e esclarece textos de “difícil compreensão” antes da manifestação dessa VERDADE. PARABÉNS pela compreensão da Palavra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *