Desmascarando o Anticristo, O Islã e as profecias!, Sinais do Fim

Fatos sobre o ISLÃ que a maioria desconhece!

Acreditei até bem pouco tempo que Roma Papal se encaixava nas profecias sobre o Anticristo, mesmo com um ponto o outro nebuloso. Como disse em um e-mail anterior, tenho meditado firme nas profecias do fim, comparando-as com as ações e ensinos do Islamismo. Fatos e profecias estão apontando para eles como protagonistas dos últimos eventos deste mundo. E isso nós veremos em breve, em artigos que postarei sobre as profecias do fim.

Neste artigo, resolvi passar um resumo da filosofia islâmica e seus propósitos, antes de iniciar a série propriamente dita, que é em relação ao Anticristo. Minha intenção é informar a todos sobre a islamização mundial que já começou e as consequências da mesma e já preparar o caminho para os estudos que serão postados em breve.

Antes de começar quero deixar BEM CLARO que não estou neste artigo nem na série de estudos que trataremos sobre o Islamismo e as profecias, intensificar ou formar um bando preconceituosos em relação aos muçulmanos. Meu foco refere-se mais a Irmandade Muçulmana e seus planos e a filosofia que está por trás do Islã. Tenha equilíbrio e lembre-se que nosso Pai Eterno ama demais este povo, descendentes de seu servo Abraão e, por amor a eles, milhões de muçulmanos estão se prostrando aos pés de Cristo todos os anos, especialmente nos últimos dois. Ame-os e vá até as últimas consequências para que muitos deles se salvem. Muitos muçulmanos são vítimas da Irmandade Islâmica. E o povo árabe, como um todo, sofre nas mãos deles.

Neste artigo, ainda não afirmo nada ou sugiro qualquer coisa em relação as profecias do fim. Também não estarei mostrando e analisando NENHUMA profecia em si. Quero apenas que você, caro leitor, analise comigo os fatos abaixo e veja se não estou certa em continuar pesquisando o islã. Vamos a estes fatos.

Mais do que uma religião, o Islã é uma doutrina ideológica completa, que rege os aspectos da vida de muçulmanos e não-muçulmanos. É a única “religião” com uma teologia com regras para a conquista e subjugação dos não-muçulmanos, consolidadas na Lei Islâmica, a Sharia. O objetivo do Islã é implementar a Sharia em todo o mundo. A Sharia está viva, atuante, e se propagando pelo mundo, independente de quem a conheça, acredite nela ou não.

O guia de regra e prática de um muçulmano não é apenas o Alcorão. O Hadith é o registro dos preceitos do profeta Maomé, ações e de vida, que constituem a sua Sunna, ou exemplo. Aceita-se como a principal fonte de crença e prática islâmica e é o segundo em autoridade ficando atrás apenas do Alcorão (Corão).

O Corão, caro leitor, é o código civil mais meticuloso do universo. Maomé levou 28 anos para terminá-lo e o mesmo contém 280 páginas.

Onde quer que o Islã chegue, sua identidade/cultura é mantida inteira, intacta, não importa a nação que um muçulmano se instale. Agem silenciosamente, aumentando os adeptos vertiginosamente. Os que tornam-se adeptos do Islamismo, recebem não apenas a crença, mas a cultura inteira, nos detalhes. Se não for assim, essa pessoa na verdade não se converteu, na opinião deles. Essa adesão ao Islã pressupõe que pessoas de outras culturas passe literalmente a ter uma nova identidade, cultura.

O que muitos desconhecem é que, no islamismo, cada novo adepto passa a fazer parte de uma estratégia mundial, que é alcançar e dominar o mundo inteiro. Eles tem uma meta, um foco sólido, por isso se espalham rapidamente e com tanta força. Todo e qualquer cidadão islâmico sabe que, não importa o país que esteja vivendo, ele tem uma obrigação: lutar para derrubar o governo que ele está debaixo, para que ali o regime do Islã prevaleça, mais cedo ou mais tarde.

Quem foi o PAI do fundamentalismo islâmico radical?

Podemos dividir o Islamismo em antes de Sayyid Qutb e depois de Sayyid Qutb. A ação do Islã no mundo era dispersa e sem propósito antes de Sayyid. Após ele, o Islã tem uma meta: dominar o mundo com a sharia!

E quem foi este homem? Sayyid Qutb foi um poeta, ensaísta, crítico literário egípcio e ativista político e
militante radical muçulmano, ligado à Irmandade Muçulmana, uma das principais entidades fundamentalistas islâmicas.

O pensamento de Qutb é considerado por muitos historiadores como uma das principais influências formadoras da Al-Qaeda, notadamente das duas figuras centrais da organização, Ayman al-Zawahiri e Osama bin Laden. Qutb foi um dos teóricos fundamentais do islamismo e o ideólogo da Irmandade Muçulmana.

Sua obra foi traduzida para o farsi (persa) pelo próprio Aiatolá Khomeini e suas ideias, desde a revolução islâmica de 1979, têm sido colocadas em prática pelo mundo muçulmano.

Ele é o grande herói para os terroristas islâmicos e muçulmanos no geral. Ele foi autor do comentário do Alcorão chamado “Na sombra do Alcorão”. Sayyid inspira TODA e qualquer ação no mundo mulçumano hoje. O Estado Islâmico e a Irmandade Muçulmana cultuam e seguem as suas ideias. Ele pregava a necessidade de “limpeza” da sociedade muçulmana de qualquer influência ocidental. Além disso, pregava que os Estados muçulmanos contemporâneos seriam regimes ímpios e apóstatas, ao aplicar leis seculares e laicas ao invés da sharia, instituída por Allah. O auge e sua ação entre o mundo islâmico foi 1950.

Seu pensamento político fundamenta-se na ideia de que os homens devem ser governados pelas leis extraídas do Corão (a Sharia), que provêm de Deus e não por suas próprias leis. A autoridade política, segundo essa concepção integrista, deve ser exercida por conselhos de doutores na Sharia. Qutb queria “mudar a sociedade da base ao topo, impondo valores islâmicos em todos os aspectos da vida, através da aplicação rigorosa da ‘Sharia’ – menos que isto não era islã”.

Sayyid idealizou a Jihad. E o que é a Jihad? É o dever religioso dos muçulmanos de defender o Islã através de luta [Pode ser cumprido, doutrinariamente falando, de quatro formas: pelo coração, purificando-se espiritualmente na luta contra o diabo; pela língua e pelas mãos, difundindo palavras e comportamentos que defendam o que é bom e corrijam o errado; ou pela espada, praticando a guerra física].

De 1948 a 1950, Qutb permaneceu nos Estados Unidos – para onde foi enviado pelo Ministério da Educação egípcia para pesquisar métodos de educação –, onde completou um mestrado em educação, na Universidade do Norte do Colorado. Foi, supostamente, essa sua experiência nos Estados Unidos que convenceu-o sobre o estado de decadência espiritual e moral do “Ocidente”.

Preste atenção, caro leitor. O Islã contemporâneo, inspirado pelas ideias de Sayyid Qutd, herdou o comunismo e o nazismo, ajustando-os as instruções do Alcorão. E isso aconteceu porque integrantes e pensadores do comunismo e do nazismo eram seguidores de Allah. Estes líderes islâmicos absorveram essa herança maldita e isto agora está no DNA do Islamismo político, que é este que mais precisa nos preocupar. O totalitarismo islâmico está baseado no comunismo e no nazismo. Pesquise.

Nossa preocupação não precisa ser em relação a muitos fiéis do Islã, que nem conhecem o Alcorão e não são militantes fiéis, mas só nominais. Mas, nossa preocupação precisa estar voltada aos fundamentalistas islâmicos, que não são apenas homens radicais, que morrem por Allah facilmente. Esses homens sabem o que eles querem e vão morrer em busca desse ideal, que é livrar o mundo das leis e costumes ocidentais.

Todo o processo ideológico islâmico é muito consciente, muito determinado e tremendamente perigoso. Eles têm planos e ambições em escala mundial e estão focados em alcançá-los. Essa ideologia atual do Islã é perniciosa e está aparecendo na mídia fortemente e não à toa. O fato de praticamente todos os países islâmicos na atualidade terem mudado seus antigos governantes pela IRMANDADE MUÇULMANA, é algo que não aconteceu por acaso. Foi bem planejado e está mudando a face do nosso planeta. A ideologia islâmica anterior/tradicional não é essa que vemos atualmente. Se os líderes ditadores que dirigiam os países islâmicos antes eram terríveis, o mundo ficará aturdido pelo que está por vir sob a direção dos ideólogos islâmicos que agora governam.

O Islã que está direto na mídia é relativamente novo. Sua forma de agir é bem pensada.E está crescendo em força destruidora muito mais do que a maioria está percebendo.

Qual o objetivo do novo Império Islâmico em atuação hoje no mundo?

Desorganizar a sociedade ocidental e fazer com que as pessoas se sintam desamparadas, com o intuito de, verem na ideologia “purificada” do Islã, a solução para todos os problemas do mundo. Enquanto os terroristas agem, os demais adeptos islâmicos mostram um lado de paz, de integridade e solução que permeará o mundo inteiro e poucos vão perceber. Quando pensamos em muçulmanos, somos erradamente levados a pensar que todos eles são homens broncos, cegos por sua ideologia radical. Na verdade, a direção do Islã parte de homens “trilhonários” e muito cultos, que mandam no mundo por causa do dinheiro que possuem.

A maioria desconhece que as grandes e principais universidades do mundo estão recebendo cadeiras acadêmicas islâmicas fixas, visando espalhar sua religião e cultura. E isso acontece facilmente porque essas universidades são amplamente financiadas por sheiks árabes.

A maioria desconhece que a maior força financeira do mundo está nos países árabes. Os sheiks árabes mandam no mundo. Quando um presidente toma posse em qualquer nação estratégica no mundo, o tal presidente recebe uma mesada na casa dos milhões de dólares, para que as coisas aconteçam conforme os interesses do mundo islâmico.

Para quem não sabe, Barack Obama teve sua formação acadêmica TODA financiada por um sheik árabe. Você acha mesmo que foi sem nenhum propósito em mente? Será que a Irmandade Islâmica colocou alguém no posto mais poderoso do mundo para facilitar a realização de todos os seus planos? Será que é por isso que Barack Obama não faz guerra contra o Estado Islâmico para acabar com as atrocidades que eles estão cometendo?

Enquanto você está distraído, leis que favorecem os muçulmanos e desfavorecem os cristãos estão aumentando em todas as nações. Pesquise, caro leitor, inclusive aqui em nossa nação. Pesquise isso que estou falando.

São duas atuações perniciosas do Islã no mundo. A primeira ocorre nas sombras e os jornais não noticiam, que são os muçulmanos ocupando cadeiras nas grandes universidades do mundo, aprovando leis pró-muçulmanos em todos os cantos do planeta e dando mesadas vultuosas aos principais governantes e empresas. A segunda é monstruosa e aparece na mídia o tempo inteiro, que são os radicais muçulmanos invadindo, matando, estuprando, implantando a sharia com a mais terrível violência.

Não é um ato solto, desarticulado, desconectado um do outro, caro leitor, mas um plano maior em tudo isso, permeado com uma meta a ser cumprida. O Islã surgiu como um projeto de expansão imperial desde o primeiro dia. Ele se inspirou no exemplo e filosofia de impérios totalitários anteriores. A expansão islâmica foi a mais rápida da história. No curso de 70 anos eles tinham ocupado uma região imensa. E olha que começaram apenas com meia dúzia de radicais fundamentalistas. Eles foram expulsos até de sua própria cidade, pois não foram levados a sério (leia a trajetória de Maomé). Depois voltaram com uma força avassaladora e de conquista em conquista, inspirados pelos mandamentos do Alcorão, caminharam firme com o objetivo sólido de alcançar o mundo inteiro com seu império.

Todo o muçulmano tem uma obrigação estrita de expandir o Islã por todos os meios possíveis e inimagináveis. Se isso será feito de uma forma pacífica ou violenta, não importa.

Não pense que essa expansão islâmica é como o propósito de expansão do Cristianismo através de seus missionários. Não é. Essa expansão também não tem nada a ver com o IDE de Cristo. O Islã, caro leitor, é um Estado desde o início (pelo menos uma proposta de um Estado) e toda vida civil, inteira e nos detalhes, está contida no Corão. Corão é um código civil completo, como todo estado possui. E no Cristianismo não há nada disso, mas apenas uma mensagem, inspirada em um livro, pregada visando mudar o caráter. No Islã, formar um império mundial é a meta principal.

Vivemos atualmente em uma acirrada revolução islâmica

A chamada Primavera Árabe, caro leitor, foi algo muito bem engendrado, com uma finalidade principal: colocar no poder a Irmandade Islâmica em todo o mundo islâmico. A partir daí, conquistar o planeta será questão de tempo. E isto está sendo feito, diante dos nossos olhos, com a ajuda da liderança ocidental (Barack Hussein Obama e demais governantes).

A Irmandade Muçulmana ou “Fraternidade Muçulmana”conhecida popularmente apenas como “A Irmandade” é uma organização islâmica radical, que atua em cerca de 70 países e que pretende “retomar” os ensinamentos do Corão, rejeitando qualquer tipo de influência ocidental. A Irmandade luta para estabelecer a sharia (leis do islamismo) como base para governos, é considerada a precursora do fundamentalismo islâmico contemporâneo, que, a partir de cisões, deu origem a grupos mais violentos como o Hamas e a Al-Qaeda, e tem o objetivo de unificar os países de população muçulmana.

O lema da Irmandade é: “Allah é o nosso objetivo, Maomé é o nosso líder, a jihad é nosso caminho. Morrer no caminho de Allah é nossa maior esperança.”

Esta Irmandade, caro leitor, é que está por trás de toda a expansão do Islã no mundo. O Ocidente assistiu eles tomando o poder em quase todo o mundo islâmico, mas a maioria acredita que toda essa guerra no Oriente Médio se trata apenas da ação de alguns malucos que se explodem em nome de Allah. É muito maior do que isso.

Estamos presenciando atualmente no planeta uma acirrada revolução islâmica. Onde isso vai dar, não é necessário especular, mas apenas assistir. Mas está evidente que eles já estão envolvidos na remoção dos últimos obstáculos para uma ascensão mundial e sem precedentes, retirando, sem misericórdia, toda a oposição que surgir no caminho. O Islã tem um deus, um profeta, um código civil e um plano bem elaborado para invadir o ocidente.

Segundo o jornalista Aaron Klein, da WorlNetDaily e também correspondente no jornal Jerusalém Post, Barack Obama nomeou em junho de 2013, uma mulher chamada Dalia Mogahed como sua conselheira em assuntos de fé. Essa pessoa estava responsável por um projeto para definir e implementar o conceito do Estado Islâmico nos tempos modernos. Pesquise por você mesmo. Comece a ligar os pontos. Veja como Barack Obama tem facilitado a ação dos muçulmanos, caro leitor. Pesquise e se surpreenderá.

Sayyid Qutb pregava um império islâmico destruidor a tudo que contraria o mesmo, reprimindo as minorias adversas. O próprio mundo árabe teme a Irmandade Islâmica que os governantes ocidentais ajudaram a colocar no poder nos últimos anos. Todos os governos estão comprometidos com a Irmandade, não no sentido religioso, mas geopolítico. E isso é assim porque a riqueza maior do mundo está no Oriente Médio.

A imigração: o cavalo de Troia que tem penetrado no Ocidente,

O que vem motivando as elites do Ocidente a abrirem os portões para um tipo muito particular de imigrante? Não existe imigração em massa de Hindus, por exemplo.

Porque a islamização da Europa (e do Ocidente, em geral) não é tratada pela imprensa como a história do século? Exatamente, como esta influência é exercida? Quem está puxando as cordas das marionetes?

O artigo intitulado “A morte da Europa que eu amo”, escrito por Janer Cristaldo e recentemente publicado na Folha de São Paulo online (pesquise), incitou um debate sobre uma eventual islamização da Europa. As coisas são tão ruins como o autor apregoa? Ou é tudo exagero? No meu entender, a situação é pior do que se aparenta, com base em tudo que estou tratando neste artigo, e o processo, mantendo-se as condições atuais, é irreversível.

Será que o mundo ocidental está compreendendo o que realmente representa essa imigração de milhares de muçulmanos? A mídia, em nenhum momento, coloca em debate o fato dos países islâmicos não receberem estes imigrantes, parecendo claramente que está tudo muito bem combinado entre eles. O dinheiro da Arábia Saudita, se não fosse o principal financiador do Estado Islâmico e principal caixa financeiro da Irmandade Islâmica, com certeza tem dinheiro suficiente para receber os imigrantes, alimentá-los e acabar com a guerra no Oriente Médio.

Será que ninguém acha estranhíssimo o fato dos países islâmicos não receberem seus próprios irmãos? Não acham, não. Pelo contrário, a mídia manipula a população a considerar a Europa e resto do mundo obrigados a receberem essa população toda. A mídia se agarra em qualquer tragédia em relação a essa imigração e acende milhões de holofotes sobre a questão, visando mover as massas para fazer a vontade dos que estão por trás dela (exemplo do que ocorreu com o menino que se afagou e foi encontrado nas areias de uma praia turca). Não percebem o que estão fazendo ou a mídia é comprada como eu já disse nesse artigo?

Não estou dizendo com isto que não é lamentável o que muitos imigrantes estão passando. Tanta humilhação! Creio que muitos não queriam de jeito nenhum ter que sair do seu país de origem. Fica evidente que a maioria é apenas massa de manobra e são como paredes para esconder o PERIGO em meio a eles.

Europa ou Eurábia?

Eurábia é um neologismo, originado da ideia de que uma nova Europa está em gestação, onde a cultura dominante não será a ocidental, e sim a islâmica; e para a qual a imigração será a estratégia de multiplicação dos adeptos do Islã. Este conceito foi desenvolvido por Bat Ye’or e popularizado pela escritora italiana Oriana Fallaci (29/06/1929 a 15/09/2006 – Florença, Itália).

Segundo esta previsão, a nova Europa teria começado a se desenhar após a crise do petróleo dos anos 1970, que teria obrigado os governantes europeus a fazer concessões aos países árabes, donos das principais jazidas do mundo. Estas concessões incluiriam:

>> Uma política exterior conciliada com os países árabes, em oposição aos Estados Unidos da América e Israel.
>> A entrada da Turquia na União Europeia.
>> A abertura à imigração procedente dos países muçulmanos.
>> O repúdio à menção das raízes cristãs da Europa na Constituição Europeia.
>> A defesa da falsa compatibilidade entre o Islã e a democracia.
>> A romantização de certos períodos da história europeia, como na dominação de Al-Andalus, ao mesmo tempo em que se repudia a Reconquista da Europa ou a Colonização da América.
>> A adoção da tolerância cultural, com a aceitação da poligamia e outras prerrogativas islâmicas.

Os governantes aceitam a pressão por causa do dinheiro árabe. Estratégia simples e eficaz. E agora, a emigração tomou uma proporção gigantesca, evidenciando que tudo ocorrerá ainda mais rápido daqui para frente.

Veja alguns depoimentos da escritora italiana Oriana Fallaci sobre o que ela chama de “Eurábia”:

“A Europa tornou-se Eurábia, uma colônia do Islã onde a invasão islâmica não procede apenas no sentido físico, mas também penetra as mentes e a cultura. O servilismo aos invasores envenenou a democracia, com consequências óbvias para a liberdade de pensamento e o conceito de direitos humanos”.

“Na instituição da Eurábia, eu considero três pontos cruciais:

>> Ponto número um – a imigração é o cavalo de Troia que tem penetrado no Ocidente, transformando a Europa no que eu chamo de Eurábia.

>> Ponto número dois – Eu não acredito no absurdo do chamado multiculturalismo. E menos ainda acredito na chamada integração, cuja falsidade foi tão bem materializada no aviso que, em 1974 deu à ONU, o líder argelino Boumedienne: “Logo irromperemos no Hemisfério Norte. E lá irromperemos não como amigos, mas para conquistar. Vamos conquistá-los? Preenchendo seus territórios com os nossos filhos. Serão os ventres das nossas mulheres que nos darão a vitória”.

>> Ponto número três – Acima de tudo, eu não acredito na fraude do Islã moderado. E eu vou continuar repetindo: “Acorda, Ocidente, acorda! Temos uma guerra declarada, estamos em guerra. E na guerra temos que lutar!”

“O Ocidente está doente. Está doente moral e intelectualmente. E você sabe o que é o particularmente mais penoso? É que são as próprias pessoas que se dizem progressistas, iluminadas, liberais, homens e mulheres de esquerda, que estão alimentando o câncer. Câncer intelectual e moral. Precisamente porque o câncer não entende o significado da palavra moral, não sabemos mais separar a moralidade da imoralidade”.

“Você não pode sobreviver se não conhece o seu passado. Nós sabemos por que as outras civilizações desapareceram: por excesso de riqueza e prosperidade, junto à falta de moralidade e espiritualidade … Quando você desistir de seus princípios e dos seus valores … quando você zombar destes princípios e valores, você estará morto, sua cultura estará morta, sua civilização estará morta, a esperança estará morta”.

“Todas as nações que se esquecem de sua alma estão fadadas ao colapso. Estamos cometendo suicídio, meus queridos. Estamos nos matando com o câncer moral, com a falta de moralidade e com a ausência de espiritualidade. É por isso que a Europa se tornou Eurábia, e a América está se encaminhado para tal. E é por isso que, com a cara marcada pelo sinal de que fala o Apocalipse, a marca da escravidão e da vergonha, muitos ocidentais vão acabar ajoelhados no tapete para rezar cinco vezes por dia ao seu novo senhor, ou seja Alá.”

Meus queridos leitores, as palavras dessa italiana são fortes, mas basta olhar para a mídia e podemos ver que o Islã, nos últimos dias, intensificou a invasão do mundo. A maioria dos que estão imigrando para o ocidente, segundo um estudo, são homens na idade entre 19 a 35 anos — perfil de aptidão ao serviço militar. Está acontecendo bem rápido, diante de nós.

O Islã vem fazendo essa imigração fortemente há anos, mas agora parece que eles estão correndo com essa estratégia. Qual será o motivo?

Está evidente que uma islamização da Europa e demais continentes está em curso hoje. E o que é islamização? Processo no qual uma cultura nativa é substituída pelos preceitos islâmicos como estabelecidos pela lei islâmica (Sharia). Existem exemplos históricos recentes.

Para a Irmandade Muçulmana, islamização é uma espécie de grande Jihad buscando a eliminação e destruição da civilização ocidental por dentro, sabotando a sua casa miserável por suas próprias mãos e pelas mãos dos crentes [muçulmanos] para que ela [civilização ocidental] seja eliminada e a religião de Alá seja feita vitoriosa sobre todas as outras religiões.[3]

Deve ser dito que nem todos os muçulmanos desejam a Sharia (embora a maioria aparentemente deseje a Sharia). Existem muitos muçulmanos culturais ou seculares. Mas eles não têm voz, prestígio ou impacto algum sobre a massa muçulmana. Deve ser dito também que, nunca antes na história tantos muçulmanos foram alcançados por Cristo. Pesquise sobre isso. Você ficará impressionado. Estamos realmente muito próximos do fim.

Como medir o impacto da islamização?

Os muçulmanos terem imigrado para a Europa anos atrás foi apenas um ensaio, caro leitor. O Islã invadiu a Europa há anos e já está bem instalado. O que está por vir a partir dessa gigantesca imigração de agora é que será pra valer.

Veremos o que tem sido essa islamização “laboratório” na Europa. Depois que ler as informações abaixo, imagine o que significará para a Europa esses milhares e milhares de muçulmanos entrando em suas fronteiras em 2015? Veja abaixo o resultado da imigração ocorrida nos anos 70 e vá imaginando o que será quando o mesmo ocorrer nas Américas.

>> Inglaterra, Suécia, Alemanha, França, Itália, Países Baixos – em cada país europeu com uma população muçulmana de imigrantes já instalados há anos, a história é a mesma: supremacistas islâmicos se recusam a se assimilar dentro do caldeirão cultural do Ocidente. Em vez disso, eles estabelecem um ponto de apoio em um bairro, e depois, por meio de intimidação ou violência pura e simples, empurram para fora os infiéis cujos valores seculares não são mais aceitáveis​​. Mesmo os serviços públicos, como a polícia, bombeiros e ambulâncias, são muitas vezes expulsos de bairros em baixo de pedras, garrafas ou balas. Falta a vontade política e cultural para afirmar o controle em áreas que, em alguns casos, se tornaram zonas de guerra urbana. As autoridades simplesmente se retiraram e as abandonaram.

>> Na Grã-Bretanha, onde já existem 85 tribunais da Sharia em operação, um grupo islâmico chamado “Muçulmanos contra as Cruzadas” lançou uma ambiciosa campanha para transformar 12 cidades britânicas em estados independentes islâmicos, incluindo Birmingham, Leeds, Liverpool, Manchester, e, o que o grupo chama de “Londonistão.” No bairro do Tower Hamlets, na zona leste de Londres – ou como os muçulmanos a chamam, “a República islâmica do Tower Hamlets” – imãs conhecidos como os “talibãs de Tower Hamlets” ameaçam com morte mulheres sem véu, e os gays são atacados por gangues de jovens muçulmanos. O bairro tem sido inundado de folhetos anunciando: “Você está entrando em uma zona controlada pela Sharia. Regras islâmicas são aplicadas.” Foi no leste de Londres, lembre-se, que o islamita Abu Izzadeen desafiou o ex-secretário do Interior, John Reid, dizendo:” Como você se atreve a vir para uma área muçulmana?”

>> A França tem 751 “zonas urbanas sensíveis,” onde vivem 5 milhões de muçulmanos … O governo holandês divulgou uma lista das 40 “zonas proibidas” na Holanda. Em Bruxelas, na Bélgica, que é 20% muçulmana, os carros de polícia andam em dupla, de modo a um proteger o outro … Na Suécia, grandes pedaços da cidade de Malmö, que tem 25% de muçulmanos, é composta por “zonas proibidas” … Na Itália, muçulmanos ameaçam queimar a Catedral de São Petrônio de Bolonha por ter um afresco com Maomé sob tormento no inferno.

Veja abaixo a propaganda do “Projeto do Emirado Islâmico do Reino Unido.” O projeto clama pelo fim das leis feitas pelos homes, e o começo da lei islâmica (Sharia).” Várias cidades inglesas são mostradas no mapa, com destaque para a capital do Emirado, “Londonistão.”

Abaixo, o mujahid (guerreiro sagrado) mostra um cartaz que prediz o futuro da Grã Bretanha:

Esta massa muçulmana exige respeito aos preceitos islâmicos, sem darem nada em troca. E eles são atendidos. Cada acomodação que os não-muçulmanos fazem para os muçulmanos move a nossa cultura, as nossas crenças e os nossos sistemas jurídicos cada vez mais perto da Sharia.

É difícil de acreditar, mas as leis europeias estão, vagarosamente, dando lugar à lei islâmica.

A pressão muçulmana continua a provocar rachaduras nos alicerces da Europa, e, através destas rachaduras, a lei islâmica continua o seu caminho. Por exemplo, em toda a Europa, o direito à liberdade de expressão está dando lugar aos limites impostos pela Sharia sobre a liberdade de expressão [8]. Bélgica, Alemanha e Grã-Bretanha oferecem benefícios para esposas em casamentos polígamos mesmo sendo a poligamia ilegal [9]. A Comunidade Europeia aceitou a pressão de grupos islâmicos e retirou a legislação que obriga a identificação da origem do abate do gado, levando ao crescimento do mercado de carne halal, abatida segundo os preceitos islâmicos (ou seja, gado abatido sem ser atordoado antes do abate e da sangria). Como é mais econômico para os grandes abatedouros promoverem apenas um tipo de abate, a carne halal está se tornando o principal tipo de carne (nos supermercados, restaurantes, escolas) sem existirem alternativas ou até mesmo indicação do tipo de abate
impedindo que os europeus escolham a origem da sua carne [10]. Na França, os professores são aconselhados a evitar autores considerados ofensivos aos muçulmanos, incluindo Voltaire. A história do Holocausto pode, em muitos casos, não ser ensinada por para não ferir a sensibilidade muçulmana [11,12].

França está permitindo que os muçulmanos governem partes do seu país (as “no-go-zones” mencionadas acima). Desde 2008, a Grã-Bretanha permite que tribunais islâmicos operem dentro de suas fronteiras [13], sendo que em um ano o número de tribunais islâmicos já era 85 [14]. A Grã-Bretanha permite tratamento injusto das mulheres muçulmanas através das cortes islâmicas em operação [15,16]. Médicos e enfermeiras muçulmanas na Grã-Bretanha podem optar em não seguir as mesmas regras de limpeza que os demais servidores nos hospitais da Grã-Bretanha [17]. A Grã-Bretanha conscientemente tolera o crime de sedição se cometido por muçulmanos [18]. Nestes
e em muitos, muitos outros modos [19], as leis, os valores e princípios da civilização ocidental estão dando lugar lentamente, mas certamente a pressão islâmica incessante. Cada concessão resulta no estabelecimento de um novo aspecto da lei islâmica.

Um comentário do leitor de um artigo online retrata bem a questão. Este leitor escreveu “Eu viví no mundo árabe por 8 anos, e posso dizer que … eles podem ser educados com você, mas nos seus corações você não passa de um infiel, que irá ser escravizado pelo islã cedo ou tarde. Eles esperam tolerância no seu país para a religião deles, mas oferecem tolerância nenhuma para a sua religião.”

Quem financia a islamização?

Iremos aqui desconsiderar o apoio que governos europeus oferecem em nome do “estado do bem-estar social”, financiando a poligamia, e até mesmo ajudando terroristas (como o caso recente do braço-direito de Bin Laden, Abu Qatada, que recebe um milhão de libras esterlinas do governo Britânico [28, 29]). Vamos tratar apenas das fontes de financiamento da islamização.

Existem três fontes de financiamento da islamização que o mundo presencia hoje. O financiamento vem da Arábia Saudita, da Turquia e do Irã, e a liderança dessa operação é a Irmandade Muçulmana.

A Arábia Saudita, que tem em sua constituição o dever de espalhar o islã no mundo, tem investido maciçamente na construção de mesquitas e madrassas em qualquer lugar (mesmo quando a população muçulmana não justifique a construção, inclusive no Brasil). Os sauditas têm também financiado a criação de centros de estudos islâmicos em universidades na Europa, Canadá e Estados Unidos, impondo, como condição do financiamento, os tipos de estudos, e os especialistas que os realizam, bem como influenciar o currículo nas escolas. Estes centros se tornam em centros de propaganda. A Arábia Saudita está igualmente dedicada a comprar cada vez maiores porções
dos principais meios de comunicação, podendo deste modo censurar as notícias. Por exemplo, quando os distúrbios de rua assolaram a França em 2008, os sauditas proibiram os meios de comunicação de dizer que os distúrbios eram provocados por muçulmanos, mas sim que eram provocados por “jovens.” Os petro-dólares são hoje usados como a maior fonte do financiamento da islamização.

A Turquia. O movimento Fethullah Gülen (a versão turca da Irmandade Muçulmana) mantém centros culturais espalhados pela Europa (e também EUA e Canadá). O Fetullah Güllen envia clérigos disfarçados como professores da língua turca. Ele também paga para ministros e pastores cristãos irem à Turquia para verem um país islâmico tolerante, onde cristãos vivem em plena harmonia com o Islã. E esses ministros e pastores retornam falando sobre como a sociedade turca é maravilhosa e como os cristãos são bem tratados por lá. Afinal, 0,3% da população turca é composta de cristãos que ainda estão lá, na maravilhosa Turquia (porém, eles não mencionam
que os turcos ocuparam militarmente a região que hoje é a Turquia, e que, a menos de um século atrás, mais de 50% da população da atual Turquia era cristã, tendo a maioria dela sido expulsa ou simplesmente morta). Lembrete: a Turquia é parte da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), sendo, deste modo, uma “aliada” do ocidente (fiquem de olho em tudo que ocorre nesse país).

O Irã é responsável pelo apoio à comunidade xiita na Europa. Apesar de restrições impostas ao Irã pelo embargo econômico, o embargo não afeta o relacionamento “religioso” oferecido pelo Irã aos xiitas. O Irã financia o treinamento de clérigos islâmicos, geralmente pessoas locais convertidas, que retornam para os seus países de origem (inclusive no Brasil).

E, finalmente, deve-se mencionar a rede de “caridade” islâmica financiada pela zakat (algo semelhante ao dízimo cristão, só que usado para jihad), bem como o financiamento oferecido por bancos que se valem da Sharia Financeira e o financiamento oriundo de gordas doações de árabes ricos. Fundos como estes sustentam a Irmandade Muçulmana, que possui uma rede ampla e bem organizada de mesquitas, instituições de caridade e organizações islâmicas espalhadas pelo mundo. O objetivo final da Irmandade Muçulmana é o de estender a lei islâmica em toda a Europa e os Estados Unidos.

Pesquise, caro leitor. No Brasil, muitos traficantes estão se tornando muçulmanos. Muitos políticos começaram a se corromper pelo petro-dólares, vendendo facilidades para a islamização do Brasil. Tribunais de justiça começaram a pedir facilidades e acomodações para os mulçumanos. Qual vai ser a reação dos brasileiros quando os guetos islâmicos começarem a crescer, intimidando os não-muçulmanos que lá vivem, exatamente como está acontecendo na Europa? Pesquise.

Olha para mim.. Instrua-se sobre o islã, sobre a lei islâmica e sobre quem foi Maomé. Converse com os outros sobre isso. Repasse os links dos sites que procuram criar consciência sobre o assunto. Já existem vários em português! Acompanhe o que acontece na Europa, e chame a atenção dos outros para isso.

Mas, acima de tudo, inicie comigo um minucioso estudo sobre o Anticristo. Assim que eu começar a postar este estudo, não fique só com as informações contidas nele. Se aprofunde, pesquise. E verá que o Anticristo não se encaixa em Roma Papal, nem em um homem europeu qualquer. São apenas suposições? Sim. Mas uma profecia só se torna CUMPRIDA em alguém ou algo, se os fatos a comprovarem.

Quem tem ouvidos, OUÇA!
Fontes:

[1] A morte da Europa que eu amo, Janer Cristaldo, Folha de São Paulo, 26/09/2012.

[2] Islão: O Aniquilador de Civilizações, Bill Warner, 2011 (versão em português).

[3] An Explanatory Memorandum on the General Strategic Goal for the Brotherhood in North America, Mohamed
Akram, 1991, The Investigative Project on Terrorism.

[4] The Future of the Global Muslim Population, Projections for 2010-2030. The Pew Forum on religion and public
life, Pew Research Center, 2011.

[5] Mohammed retakes top spot in English baby names, CNN, 2012.

[6] The Next Euro Crisis: Aging Populations, Michael Hodin, Age & Reason, The Fiscal Times, 2012.

[7] The Rise of Islamic No-Go Zones, Mark Tapson, FrontPageMag.com, 2011.

[8] Tolerance or Death! European culture leaders should smack down fanatical Islamists. Instead, they’re
bending over for them, Bruce Bawer, The Reason Magazine, 2005

[9] Multiple wives will mean multiple benefits, The Telegraph, 2008.

[10] Europe Goes Halal, Soeren Kern, Gatestone Institute, 2011

[11] Teachers drop the Holocaust to avoid offending Muslims, Mail online, 2007.

[12] British schools drop Holocaust lessons for Muslims, Times 24|7, The Washington Times.

[13] First UK Sharia court up and running in Warwickshire, North Warwickshire News, 2008.

[14] At leas 85 sharia çourts’ operating in Britain, says Civitas report, Telegraph, 2009.

[15] What isn’t wrong with Sharia law?, The Guardian, 2010.

[16] Sharia Law in Britain: A Threat to One Law for All and Equal Rights, One Law for All, 2010.

[17] Muslim staff escape NHS hygiene rule, Telegraph, 2010.

[18] Dispatches, Under-cover Mosque, The Return, Channel 4, 2008.

[19] Master List of Concessions, Concessions to Islam.

[20] Euro-Arab dialogue, MEDEA, European Institute for Research on Mediterranean and Euro-Arab Cooperation,
acessado em dezembro de 2012.

[21] Eurabia: The Euro-Arab Axis, Bat Ye’or, 2006, Fairleigh DickinsonUniversity Press.

[22] Organização da Conferência Islamica (OIC), Apostasia, Blasfêmia e a Difamação do Islão, 2012.

[23] Christianity gets less sensitive treatment than other religions, admits BBC chief, Mail Online, fevereiro
de 2012.

[24] Men’s Search for Meaning, Viktor E. Frankl, Beacon Press, 2006.

[25] The Innocent Prophet, YouTube, dezembro de 2012.

[26] Deportation Papers Served on Imran Firasat, Gates of Vienna , dezembro 2012.

[27] Terry Jones Banned From the Schengen Area, Gates of Vienna, dezembro 2012.

[28] Hate preacher Abu Qatada’s new £450,000 four bedroom home – paid for by you, Mail, dezembro de 2012.

[29] Abu Qatada receives £500,000 in UK legal aid to fight deportation, Metro, dezembro de 2012.

[30] Europe for all in the 4th stage, John C. Wright’s Journal, outubro de 2012.

[31] Aprendiz de Aiatolá, Folha/UOL, julho de 2011.

[32] Brasileiro convertido ao islã afirma ser preciso mais apedrejamento, Paulo Lopes, julho de 2011.

[33] Um estado islâmico no Brasil “ainda que seja um estado dentro do Estado.” Blog “Rafiq responde ao Islam”,
março de 2012.

[34] Partido Islâmico Brasileiro, Sociedade Islâmica do Maranhão, maio de 2011.

[35] O Avanço do Islã no Ocidente e no Brasil, Magno Paganelli, trecho reproduzido no Blog Genizah, março de
2012.

[36] Islamismo e Apocalipse, Magno Paganelli, Arte Editorial, 2012.

8 Comments

  1. Alexandre

    Amigos e amigas, irmãos e irmãs, não votem em comunistas, não permitam a entrada de estrangeiros (terroristas, sabotadores e espiões infiltrados), todos os cristãos de todas as igrejas devem se unir, mesmo que não concordem em todos os pontos (a união faz a força), outras religiões, devem receber apoio e ajuda dos cristãos, Israel deve ser apoiada, os judeus merecem e precisam do nosso apoio (dos cristãos), Quando a guerra começar, será os EUA, Israel, e os cristãos (que sobrarem depois do abate islãmico) contra a Rússia, China, Irã, Coréia do Norte e outros países comunistas e islãmicos, note que nesse ponto a Europa já foi invadida e destruida…
    Dar apoio ao exército brasileiro nesse momento é importante (e uma questão de sobrevivência, pura e simples), segue alguns sites para dar uma idéia do perigo que nós e o mundo civilizado corremos, com esses islãmicos e comunistas soltos por aí…

    http://www.lepanto.com.br/catolicismo/perseguicao-religiosa/o-exemplo-da-china-estado-islamico-extrai-a-forca-orgaos-de-prisioneiros-vivos/

    https://pt.gatestoneinstitute.org/9125/franca-islamizacao

    https://pt.gatestoneinstitute.org/7739/franca-jihad-exercito-policia

    https://pt.gatestoneinstitute.org/8507/franca-guerra-civil

    http://revelatti.blogspot.com/2016/02/olavo-de-carvalho-explica-ajuda.html

    https://pt.gatestoneinstitute.org/9115/meninas-cristas-homens-muculmanos

    https://pt.gatestoneinstitute.org/8106/yazidi-estupro-isis

    https://pt.gatestoneinstitute.org/7778/pascoa-cristaos-massacrados

    https://pt.gatestoneinstitute.org/7338/paquistao-meninas-cristas

    https://pt.gatestoneinstitute.org/7076/massacrado-cristao

    https://noticias.gospelmais.com.br/muculmano-converteu-joao-316-visitado-anjo-85448.html

    https://noticias.gospelmais.com.br/antes-execucao-muculmano-revela-familia-aceitado-jesus-85528.html

    https://tecblogvida.wordpress.com/2015/11/20/estados-islamicos-leiloa-meninas-crista-para-servir-como-escravas-sexuais-%e3%80%8b-vejam-o-absurdo/

    http://www.lepanto.com.br/ultimas-noticias/muculmanos-massacram-cristaos-antes-de-pisarem-em-solo-europeu/

    https://pt.gatestoneinstitute.org/9143/alemanha-casamento-criancas
    https://pt.gatestoneinstitute.org/9152/palestinos-mataram-judeus
    https://pt.gatestoneinstitute.org/9125/franca-islamizacao
    https://pt.gatestoneinstitute.org/9180/romenia-mesquita
    https://pt.gatestoneinstitute.org/9197/alemaes-deixando-alemanha
    https://pt.gatestoneinstitute.org/9206/palestinos-uniao-sovietica
    https://pt.gatestoneinstitute.org/9226/franca-sharia
    https://pt.gatestoneinstitute.org/9233/intelectuais-ocidentais-jihad
    https://pt.gatestoneinstitute.org/9252/estupros-migrantes-alemanha-indignacao
    https://pt.gatestoneinstitute.org/9257/alemanha-caos
    https://pt.gatestoneinstitute.org/9270/protecao-isla-difamacao-cristianismo

  2. Janaína

    Excelente artigo, esclarecedor e que induz à pesquisa. Muito obrigada por compartilhar conosco este conhecimento. Que o Senhor tenha misericórdia de nós!

  3. Bruno Guerra

    O atual presidente de Londres é muçulmano, e dias desses ele aprovou lei de que é proibido mulheres de biquinis em propragandas de transportes publicos, alegando que as mulheres fora do padrão se sentem mal com essas.

    Precisamos combater o islã o quanto antes!

  4. Muito bom! Fiquei sabendo de algo que eu não sabia. Gostei.

  5. Dagmar Marie

    IRMANDADE MUÇULMANA…

    TODOS OS MUÇULMANOS PRECISAM SER EXPATRIADOS DA EUROPA E DE TODOS OS PAÍSES CIVILIZADOS, PARA O ORIENTE MÉDIO!

    ENQUANTO NÃO SAÍREM, DEVERÃO SER CONFINADOS EM CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO, ONDE PODERÃO COLOCAR NO PORTÃO DE ENTRADA: “EURÁBIA”, COMO SONHAVAM.

    A realidade que poucos conhecem:

    A SUPREMA CORTE DA ESPANHA revogou a lei que proibia o uso de véu, e os devidos trajes das muçulmanas, porque recebeu ameaças da IRMANDADE MUÇULMANA!!!

    Obs.: Essa IRMANDADE MUÇULMANA, está infiltrada em todos os países europeus, incluindo Austrália, Canadá, e a Ásia.

    Dessa maneira, todos os MOVIMENTOS contra os islamitas na Europa, e em todos os países civilizados, são logo silenciados, porque as Organizações recebem ameaças de morte, da IRMANDADE, nas quais incluem os familiares.

    É terrorismo oculto, feito através do TELEFONE.

    E, também, sob ameaça de morte, forçam as pessoas que se convertam ao islamismo.

    Os muçulmanos se impõem no mundo, através de ameaças de mortes, bombas, assim como homens-bomba ou incêndios provocados, seja numa residência ou instituição pública, como foi o caso da Suprema Corte da Espanha.

    Nota: o Papa Bento XVI, foi obrigado a abandonar o papado, porque em mais de 50 (cinqüenta) idiomas, transmitido ao mundo inteiro, falou algumas verdades sobre a maldita SEITA PEDOFÍLICA, denominada Islamismo. E o Vaticano seria impludido pelos muçulmanos, se ele permanecesse no papado. Assim, o Papa Francisco, assumiu o papado, e teve que se humilhar, por exigência dos muçulmanos, em lavar os pés de uma muçulmana, que odeia os cristãos, e ainda teve que beijar os pés dessa maldita.

    A realidade: o Papa Franciso é o fantoche dos muçulmanos e nem teve autorização em usar o nome de Francisco I, como seria o correto, por exigência dos islamitas!!!

    Apenas um exemplo do que os malditos islamitas fazem no Ocidente: é o caso do político holandês, que quer livrar seu país dos islamitas, e tem todos os motivos, e devido a isso, tem que andar com seguranças, usar carro blindado, para não ser assassinado pelos muçulmanos, em seu próprio país!

    Ainda, os islamitas pertencem a uma SEITA PEDOFÍLICA E POLÍTICA, denominada islamismo, que se intitula religião, sem o ser, na qual a pedofilia é legalizada por lei do ISLÃ.

    Em razão disso, se acham no direito de estuprar nossas crianças, podendo levá-las à morte, por hemorragia interna, e se sobreviverem, ficarão traumatizadas para o resto de suas vidas.

    Uma coisa é certa, eles também tem família, como nós!!!

    Então, vamos aplicar nos muçulmanos, a Lei de Talião:

    ‘OLHO POR OLHO, DENTE POR DENTE’.

    Assim, não poderão mais nos intimidar com ameaças, porque saberão que haverá o troco!!!

    No Oriente Médio, matam, estupram e mutilam cristãos e membros de outras religiões.

    Por que temos que os tolerar na Europa e em outros países civilizados, se eles nos odeiam e matam?

    VAMOS DAR UM BASTA!!! NÃO VAMOS CONTINUAR RECEBENDO ORDENS PARA RETIRARMOS OS CRUCIFIXOS DAS IGREJAS, AS ÁRVORES DE NATAL DAS RUAS E ASSIM POR DIANTE. E AINDA SERMOS AMEAÇADOS DE MORTE, ASSASSINADOS OU DEIXAR NOSSAS MENINAS SEREM ESTUPRADAS PELOS PEDÓFILOS MUÇULMANOS, EM NOSSOS PRÓPRIOS PAÍSES, ONDE OS MUÇULMANOS SÃO INTRUSOS!!!

    E, viva a ISLAMOFOBIA, que varrerá do mundo, a chaga da humanidade: o islamismo e suas perversões sexuais: a pedofilia

    Obs.: os muçulmanos sempre envolvem os judeus nas descriminações, sendo que os judeus nunca foram taxados como assassinos, estupradores ou terroristas. É uma jogada maquiavélica dos islamitas, tentando espalhar o anti-semitismo (Neonazismo) pelo mundo, com intenção de enfraquecer a ISLAMOFOBIA.

  6. Dagmar Marie

    ISLAMOFOBIA…

    TODOS OS MUÇULMANOS PRECISAM SER EXPATRIADOS DA EUROPA E DE TODOS OS PAÍSES CIVILIZADOS, PARA O ORIENTE MÉDIO!

    ENQUANTO NÃO SAIREM, DEVERÃO SER CONFINADOS EM CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO, ONDE PODERÃO COLOCAR NO PORTÃO DE ENTRADA: “EURÁBIA”, COMO SONHAVAM.

    Antes de mais nada, ISLAMISMO NÃO É RELIGIÃO, mas, é uma SEITA PEDOFÍLICA E POLÍTICA, na qual a pedofilia é legalizada por lei do ISLÃ.

    A realidade: os cristãos ou membros de outras religiões não enviam assassinos para matar no Oriente Médio, porém, os muçulmanos enviam suas facções Terroristas, sob o pretexto que são “Fundamentalistas Islâmicos”, para matar no Ocidente.
    Muçulmanos recolhem dízimos nas Mesquitas, para o Terrorismo, então são cúmplices.

    No Oriente Médio, constantemente, estupram, mutilam e matam cristãos e membros de outras religiões.

    Por que então, temos que os tolerar na Europa e em outros países civilizados, se eles nos odeiam e matam?

    Os islamitas seguem, rigorosamente, o que está escrito no CORÃO (escrito pelo pedófilo Maomé, que chamam de Profeta), por esse motivo a PEDOFILIA é legalizada pela lei do ISLÃ.

    Também, nesse livro satânico que chamam de sagrado, o CORÃO, está escrito que todos têm que serem convertidos ao islamismo ou assassinados, de acordo com a tal “Guerra Santa”, que de santa não tem nada.

    Nos noticiários, poderemos saber das atrocidades que praticam nas indefesas aldeias e pequenas cidades da África: estupram suas meninas e jovens, e matam todos os homens, para que não mais procriem: os “Cães Infiéis, ao Maomé” (como chamam todos que não são muçulmanos). Em seguida obrigam suas vítimas a colocar o véu, e as transformam em muçulmanas, contra a vontade delas.

    Depois alegam, descaradamente, que islamismo é a “religião” que mais cresce no mundo.

    Entre outras perversidades: estupros de mais de seiscentas meninas e adolescentes, obviamente virgens, como foi amplamente divulgado na Itália. Na Inglaterra estupraram centenas de meninas, também amplamente divulgado. Assim como em todos os países europeus, onde estão infiltrados, acontece a mesma coisa.

    Ainda, picham todas as Igrejas nos países europeus, que os acolheram, onde podemos observar que apenas as Mesquitas não estão pichadas. Se fosse obra de pichadores, as Mesquitas também estariam.

    Depois reclamam da ISLAMOFOBIA?

    E, viva a ISLAMOFOBIA, que varrerá do mundo, a chaga da humanidade, o islamismo, e suas perversões sexuais: a pedofilia

  7. Ronaldo Corrêa

    Vejam esse decreto que saiu do Diário Oficial da União ontem, revogando as sanções comerciais impostas ao Irã: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2015-2018/2016/Decreto/D8669.htm

  8. Helcias Lopes Rocha

    Estudo escatologia há mais de 40 anos, incentivado por meu pai, pastor Gérson Rocha. Tenho acompanhado estes últimos acontecimentos mundiais e a minha convicção é que nos aproximamos rapidamente do cumprimento profético sobre o governo mundial, aparecimento do anti cristo e arrebatamento da igreja. Tenho certeza que existe um acordo entre o clube de BILDERBERG (os donos do mundo), comunistas e o islã. Esta gente estará aqui na GRANDE TRIBULAÇÃO, comandada pelo anti cristo. Em mateus 24; 21, Jesus diz: porque nesse tempo haverá grande tribulação, como desde o princípio do mundo até agora não tem havido e nem haverá jamais, E no versículo 22 diz: Não tivessem aqueles dias sido abreviados, ninguém seria salvo; mas, por causa dos escolhidos, tais dias serão abreviados. A islamização da Europa é real; nos E.U.A e a América latina já começou, na Ásia e África a propagação do islã é antiga. Este artigo é muito esclarecedor sobre as artimanhas de satanás, fiquemos atentos firmes nas promessas do nosso Salvador e Senhor, sabendo que a nossa redenção de aproxima. Apocalipse 3;10 – Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da ora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitem sobre a terra. Amém, Maranata!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *