Inferno NÃO é fogo ETERNO!

Inferno NÃO É um Tormento Eterno – Parte 1

A doutrina que ensina a existência de um “inferno de fogo” tem preocupado muitas pessoas de todas as eras. Pensadores têm rejeitado o cristianismo por causa de tal crença; jovens têm abandonado a religião, pois pensam: “não posso crer em um Deus que, para demonstrar Sua justiça, tenha de atormentar eternamente a alma de alguém no fogo; Ele não pode existir…”. Tudo isso poderia ser evitado, caso fosse feito um estudo correto, sincero e fiel da Bíblia e se fossem usadas devidamente as regras de interpretação do verso bíblico antes de tirar uma conclusão definitiva – uma dessas regras de estudo da Bíblia é: levar em conta todos os textos das Escrituras que tratam do mesmo assunto (Isaías 28:10).

Muitos cristãos crêem em um inferno de fogo, para onde, segundo eles, vão as “almas” daqueles que foram maus, e que lá, eternamente, serão atormentados pelo diabo, e que os bons vão para o “céu”, ao morrerem. Mas será que esse pensamento se harmoniza com o ensinamento bíblico? Isso é o que veremos a partir deste ponto. É um grande problema enquadrar “essa crença” com os aspectos fundamentais da fé cristã, contidos nas Escrituras.

O Eterno disse para o homem: “CERTAMENTE MORRERÁS” – Gênesis 2: 17. Satanás retrucou: “CERTAMENTE NÃO MORRERÁS” – Gênesis 3: 4.

Quem falou a verdade? Esta mentira satânica, de que “os pecadores viverão para sempre, e que nem o fogo do inferno poderá extinguir a centelha de vida”, tem sido pregada dos púlpitos, em acintosa rejeição à Palavra do Eterno.

Com este estudo quero deixar claro uma VERDADE: O castigo dos ímpios é por tempo limitado!
O galardão dos justos é para sempre!

A ideia medieval do inferno predomina ainda entre boa parte da cristandade. Um inferno semelhante ao criado pela superstição romana em que homens ficarão eternamente queimando, fustigados pelos tridentes dos demônios que o habitam.

A bíblia possui fartas e concludentes referências de que o homem não possui uma alma, mas É UMA ALMA VIVENTE. A bíblia também não ensina que essa alma seja imortal. A imortalidade é alcançada somente por e através do Messias. A Bíblia diz que “o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito do Eterno é a vida eterna, pelo Messias Yahushua nosso Senhor.” (Romanos 6:23). A morte é a punição final dos ímpios. O dom da vida eterna, o Pai dará aos Seus, mas não dará aos ímpios. Em sua primeira epístola, o apóstolo João esclarece melhor o assunto: “Todo o que odeia a seu irmão é homicida; e vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele.” (I João 3:15). E mais: “Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida.” (I João 5:12). João está dizendo, aqui, que os ímpios NÃO viverão eternamente! O tormento eterno deixa de ser um fato, se consideramos estas declarações bíblicas como verdadeiras.

A questão fundamental é: O fogo do inferno atormenta os perdidos eternamente ou os consome permanentemente?

Não é possível, à luz da bíblia, crer que o sofrimento, o pranto e a dor se perpetuem eternamente, pois acreditar nisso seria anular a declaração divina de que tempo virá em que “…não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor, nem clamor; porque já as primeiras coisas são passadas.” (Apocalipse 21:4). Assim como não haverá mais morte para os remidos, assim também não haverá mais vida para os ímpios (Apocalipse 21:8). A “segunda morte” é a morte final e irreversível. Em parte alguma a bíblia diz que os ímpios sofrerão eternamente. Ao contrário, ela usa palavras que dão a clara idéia de que eles terão um completo e rápido aniquilamento. Na bíblia, os ímpios são descritos como “palha”, “cera”, “gordura”, “fumaça”, etc. (ver Mateus 3:12; Malaquias 4:1; Salmos 68:2: Salmos 37:20).

Mas a Bíblia usa expressões como “fogo inextinguível”, “fogo eterno”, etc., dando a entender que os ímpios queimarão nesse fogo, eternamente. O que isto realmente significa?

Antes disso, é importante salientar o que a bíblia ensina sobre o estado do homem na morte. Veja:

“Isto dizia e depois lhes acrescentou: Nosso amigo lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo. Disseram-lhe, pois, os discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. Jesus, porém, falara com respeito à morte de Lázaro; mas eles supunham que tivesse falado do repouso do sono. Então, Jesus lhes disse claramente: Lázaro morreu…” (João 11:11-14).

Note que, depois de ficar doente, Lázaro morreu. E o que o Messias disse a respeito da morte de Lázaro? Disse que ele estava dormindo! Não devemos duvidar do Senhor. Ele sabe melhor que nós qual é o estado do homem na morte. Em aproximadamente 53 versos diferentes, a bíblia compara a morte a um sono.

Ele disse também, que a ressurreição será no último dia, quando ele voltar (João 6:40). Mas como harmonizar estes versos com aqueles que mencionam o “tormento eterno?”

O Antigo Testamento, também declara que, quando uma pessoa morre, ela está em total inconsciência. Veja: “Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem “coisa nenhuma”, nem tampouco terão eles recompensa, pois sua memória está entregue ao esquecimento. Amor, ódio e inveja para eles já pereceram: para sempre não têm eles parte em coisa alguma do que se faz debaixo do sol.” (Eclesiastes 9:5,6) (leia também Salmo 6:5; Salmo115:17; Salmo 146:3,4; Isaías 38:18,19).

Como o Eterno é perfeito, Ele nunca irá se contradizer; afirmando em uma parte da bíblia que, na morte, a pessoa está em total inconsciência e em outra parte, que os ímpios mortos estão sofrendo em um ‘inferno de fogo’.

Além disso, não podemos deixar de mencionar que o trabalho de satanás para tentar confundir a Igreja de Cristo, foi bastante eficaz, ao nos depararmos com uma quantidade de traduções e interpretações bíblicas fora do comum, tornado-se uma desgraça para a compreensão verdadeira do significado bíblico, não sem o controle do Pai, afim de peneirar a fé de seus filhos.

Portanto, se há uma aparente contradição, a culpa não é Dele, mas sim nossa, pois somos limitados por causa do pecado. Outro fator que leva-nos a encontrar “contradições” na bíblia é o fato de não a estudarmos profunda e adequadamente. É o que pretendemos fazer agora, analisando estes versos em seu contexto e verdadeiro significado.

SIGNIFICADO DA PALAVRA “INFERNO”

O presente estudo irá analisar o que é o ‘inferno’, de acordo com o ensino bíblico; qual o correto significado de alguns dos textos bíblicos que mencionam a palavra ‘inferno’; o inferno de fogo existe hoje ou existirá em um futuro? Por quanto tempo?

É importante ficar claro, inicialmente, que a doutrina de um inferno para tormento eterno é de origem pagã, e foi aceita pela igreja dominante, nos séculos escuros da Idade Média, para intimidar os pagãos a aceitar as crenças católicas.

O modo mais simples de entender o significado desta palavra consiste em examinar o seu uso, nas Escrituras. Segundo a bíblia, a palavra “inferno” significa “sepultura”, “mundo dos mortos”, “habitação dos mortos”, etc. No hebraico, a palavra transliterada como sepultura é sheol e no grego, é hades, mas ambas tendo o mesmo significado.

No Antigo Testamento, a ideia de fogo ou tormento não se encontra na palavra sheol. Podemos citar como exemplo, o texto bíblico de Jonas 2:1-2: “E orou Jonas ao Senhor, seu Deus, das entranhas do peixe, …do ventre do inferno(sheol) gritei”. Seria difícil imaginar alguma coisa análoga ao fogo, em conexão com o peixe, mencionado aqui.

É importante lembrar que, tanto bons como maus vão para o sheol. Jó, homem sincero e reto, temente a Deus (Jó 1:8), disse: “Se eu olhar a sepultura (sheol) como a minha casa…” (Jó 17:13). O salmista escreveu: “Os ímpios serão lançados no inferno (sheol)…” (Salmos 9:17). Veja no contexto desse texto, que Davi afirma que os aflitos e necessitados não serão para sempre esquecidos e a sua esperança não se frustrará perpetuamente, ao contrário dos ímpios, que serão lançados no inferno(sheol), ou seja, na morte eterna.

Na bíblia, a palavra “inferno” é traduzida, portanto, das seguintes palavras hebraicas e gregas: sheol, hades, geena e tártaros. Vejamos o significado de cada uma delas:

HADES E SHEOL – SEPULTURA

SHEOL (hebraico) – Este vocábulo aparece 65 vezes, no Velho Testamento. Era o lugar para onde iam os mortos, por isso é sinônimo de “sepultura”, ou “lugar de silêncio dos mortos”. Em hebraico, Sheol nunca teve a idéia de lugar de suplício para os mortos.

Muitas traduções optaram por manter essa palavra transliterada, por considerarem difícil traduzi-la, pois nenhuma palavra em português dá a exata idéia do significado original. A tradução brasileira não a traduz nenhuma vez. Quem experimentar, por exemplo, traduzir sheol por “inferno de fogo”, no texto de Gênesis 42:38, verá o tamanho da discrepância: a tradução da Sociedade Bíblica Britânica fala em “sheol”. Já a bíblia na versão Jerusalém diz “…habitação dos mortos”, mas em nenhuma delas, significando ‘inferno de fogo’.

HADES (grego), significa “mundo inferior, sepultura, morte”. Provém do prefixo? – alfa grego, com a idéia de negação, privação e do verbo idein = ver, significando então: o que não é visto, lugar de onde não se vê, por isso é sinônimo de sepultura, habitação dos mortos.

Os gregos dividiam o hades em duas partes, (posteriormente, falavam até em quatro): o Elysium – a habitação dos vitoriosos e o Tártarus – a habitação dos ímpios.

Esta ideia de divisões e subdivisões do hades é totalmente pagã e sem nenhum apoio bíblico.

Hades descreve o mesmo lugar que sheol. A palavra hades ocorre, nas escrituras gregas, 10 vezes. São estas, as citações do Novo Testamento: Mateus 11:23; 16:18; Lucas 10:15; Atos 2:27 (em paralelo a Salmos 16:10, conforme abaixo); 2:31; I Coríntios 15:55; Apocalipse 1:18; 6:8; 20:13 e 20:14.

A Septuaginta, antiga versão grega do Antigo Testamento, quase sem exceção, usa a palavra hades como tradução de sheol. Uma das provas da exata correspondência entre essas duas palavras encontra-se na tradução da Septuaginta, pois das 62 vezes que Sheol é usada no Velho Testamento, 61 vezes foi traduzida por hades. Veja e compare as passagens mencionadas no Antigo Testamento e Novo Testamento: em Atos 2:27, lê-se hades: “Pois não deixarás a minha alma(psiqué=vida) no hades…”, enquanto que Salmos 16:10, que é uma citação, feita em Atos, lê-se inferno(sheol): “Pois não deixarás a minha alma no inferno…”. Na versão da Bíblia de Genebra, usou-se a palavra “morte”, indicando que o texto não se refere a um lugar de fogo. Em boa parte das traduções da bíblia, inclusive na versão de Almeida Revista e atualizada, o termo “inferno” já foi substituído por morte.

GEENA – LUGAR DE JUÍZO

GEENA, no grego, (do hebr. Gê-hinnon, vale de Hinnon), correspondente à palavra hebraica Hinom, que é o nome de um vale próximo à Jerusalém, lugar usado para depósito de cadáveres de animais e de malfeitores, onde eram consumidos pelo fogo, que se mantinha aceso constantemente. Conhecido também por ‘Vale de Josafá’, está situado a sudoeste da cidade e era considerado lugar maldito pois, neste local, antes da conquista de Canaã pelos filhos de Israel, ali eram feitos sacrifícios de crianças, pelos cananitas, ao ídolo Moloque (ou Tofete – deus dos mortos), ao qual chegaram a construir um templo. O santo rei Josias, na restauração que fez em Israel, destruiu o templo e transformou o lugar em depósito de lixo. Terminados os sacrifícios humanos, o vale de Hinom passou a ser, então, um crematório das sujidades da cidade de Jerusalém e este local ficou reservado para depósito do lixo proveniente da cidade. Juntamente com o lixo, vinham cadáveres de mendigos encontrados mortos na rua ou de criminosos e ladrões mortos quando cometiam delito. Estes corpos, às vezes, eram atirados onde não havia fogo, expondo os vermes que lhes devoravam as entranhas, num espetáculo dantesco e aterrador. É a este quadro que Isaías se refere, em seu capítulo 66, verso 24, que diz: “Eles sairão e verão os cadáveres dos homens que prevaricaram contra mim; porque o seu verme nunca morrerá, nem o seu fogo se apagará; e eles serão um horror para toda a carne”. Note que essa passagem fala em “cadáveres”, e não em pessoas gritando de dor! Além disso, é preciso muita imaginação para supor que este verme nunca morra, literalmente, ainda mais no fogo!

Por todas estas circunstâncias, esse vale se tornou desprezível e amaldiçoado pelos judeus e símbolo do terror, da abominação e do asco, e mencionado pelo Messias com estas características, como em Marcos 9:47-48, que diz: “E, se um dos teus olhos te faz tropeçar, arranca-o; é melhor entrares no reino de Deus com um só dos teus olhos do que, tendo os dois, seres lançado no inferno, onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga”. Ser atirado no geena após a morte, era sinônimo de desprezo ao morto, abandonado pelos familiares e pela sociedade, não merecendo ao menos uma cova rasa, estando condenado à destruição ‘eterna’ do fogo, que ardia constantemente, pois por óbvios motivos de higiene, os judeus mantinham o fogo permanentemente aceso, e com o objetivo de avivar as chamas e tornar a sua força mais eficaz, lançavam enxofre sobre ele.

Com muita propriedade, portanto, o Messias usou este vale para ilustrar o que seria o ajuste de contas e conseqüente destruição dos ímpios, que seriam queimados no geena universal.

Com o tempo, esta palavra passou a ser empregada, naturalmente, como sinônimo de maldição, e o Messias usou-a para designar o “lugar de punição dos ímpios”. Assim, de todas as palavras que, na bíblia, são traduzidas por “inferno”, geena é a única que tem em si própria, a idéia de “lago de fogo e enxofre”. As 12 citações que apresentam a palavra geena são as seguintes: Mateus 5:22,29,30; 18:9; 23:15,33; Mc 9:43,45,47; Lucas 12:5; Tiago 3:6.

Há de se salientar, porém, que em nenhum dos textos onde aparece a palavra Geena, diz-se em quê ocasião os ímpios serão “lançados no inferno”. Os textos descrevem o juízo pelo fogo simplesmente como um acontecimento futuro e eles contêm a evidência de que esse acontecimento futuro não se seguirá imediatamente após a morte.

Em várias citações onde aparece a palavra Geena, é dito que os ímpios serão “lançados” no fogo (figura de linguagem), presumivelmente, com a intenção de descrever o ato de arremessar um objeto nas chamas. Mas, quando serão os ímpios corporalmente ou literalmente lançados no fogo do juízo? A bíblia diz que esse evento ocorrerá no dia do juízo final, após o milênio, quando os ímpios mortos forem ressuscitados e tiverem sido julgados segundo as suas obras (Apocalipse 20:11-15).

TÁRTAROS (grego), significa “um abismo escuro”. Esta palavra é usada em conexão com a expulsão de anjos maus do céu para a “escuridão”. “Ora, se Deus não poupou a anjos quando pecaram, mas lançou-os no inferno (tártaros), os entregou aos abismos da escuridão, reservando-os para o juízo.” (II Pedro 2:4). A palavra tártaro, usada por Pedro, se assemelha muito à palavra “Tartarus”, usada na etimologia grega, como nome de um escuro abismo ou prisão; porém, a palavra tártaro, parece referir-se melhor a uma condição do que a um lugar. A queda dos anjos que pecaram foi, do posto de honra e dignidade à desonra e condenação; portanto, a idéia parece ser: Deus não poupou aos anjos que pecaram, mas os rebaixou e os entregou a cadeias de trevas, para juízo. Não existe, nesse texto, a idéia de fogo ou tormento. A passagem bíblica declara, especificamente, que os anjos ficaram “reservados para o juízo”, isto é, para um acontecimento futuro.

Como vimos, quando a palavra “inferno”, traduzida de hades ou sheol aparece nas escrituras, o leitor não deve tomá-la como significando, exclusivamente, um lugar de fogo e enxofre, a morada dos ímpios, porque:

a) A principal definição de hades/sheol, como já foi mencionado, não possui tal significado da palavra. As palavras sheol, em hebraico e hades, em grego, eram usadas para designar “sepultura”, não trazendo nenhum sentido de sofrimento e castigo eterno.

b) A palavra “inferno” foi usada pelos tradutores por influências pagãs e por preconceitos enraizados na mente de muitos deles a partir de sua cultura e crenças até os dias de hoje, mas totalmente estranhos ao texto sagrado.

c) O Antigo Testamento diz que, tanto justos quanto ímpios, vão para o sheol. Crer que esse termo signifique um lugar de fogo será admitir que os antigos patriarcas teriam descido para um lugar de chamas ardentes. De acordo com a bíblia, todos os que morrem, quer sejam bons, quer sejam maus, descem à sepultura, ao lugar de esquecimento e ali esperam até o dia da ressurreição, quando então, receberão sua recompensa. (Apocalipse 22:14).

d) O Novo Testamento fala do Messias como estando no hades (Atos 2:27). Este texto causa tremendo embaraço para os que defendem a errônea ideia de inferno como um lugar de tormento, acompanhado de fogo e enxofre. A palavra grega hades tem, como um de seus significados, um lugar desprovido de luz, uma morada escura. O texto em questão tem, então, o seguinte significado: “Tu não me deixarás na sepultura, na morte”.

A mesma conclusão é tirada do texto de I Coríntios 15:55, onde a palavra “inferno” é uma tradução de hades, e descreve aquele elemento sobre o qual, finalmente, os justos serão vitoriosos na ressurreição: “…onde está, ó morte, a tua vitória?”. O referido texto é uma citação de Oséias 13:14, onde é empregada a palavra equivalente, sheol, traduzida equivocadamente, para “inferno”. Paulo, simplesmente, está se referindo à imortalidade, que na ressurreição, subjugará a morte para sempre.

Um outro texto onde é mencionada a palavra “inferno” é Apocalipse 20:13. O termo original empregado foi hades (ou sepultura; em algumas traduções, lê-se “além”). É importante notar aqui, que “inferno” não significa lago de fogo, porque neste texto, os mortos serão livrados do inferno e posteriormente lançados no lago de fogo, juntamente com a morte e o inferno (Apocalipse 20:14-15); se mantivermos a tradução equivocada, teríamos, então, fogo sendo lançado no fogo, o que não faz o menor sentido.

Os problemas relacionados com a palavra “inferno” se desfazem como bolhas de sabão, quando conhecemos bem o significado etimológico dos termos sheol, hades, geena e tártaro, que jamais poderiam ser traduzidos por essa palavra, por ter uma conotação totalmente diferente do que é expresso por aqueles vocábulos.

Seria possível o Deus apresentado a humanidade pelos profetas e pelo Messias condenar os ímpios ETERNAMENTE no inferno? Você tem noção realmente do que é uma coisa ser eterna? Durar eternamente? Não estou falando de 100 anos, 1000 anos ou ainda 1 trilhão de anos, não. Mas infindavelmente. Não temos noção do que é eternidade, por isso aceitamos esse ensino pagão com tanta facilidade.

Não é apenas a bíblia que afirma o contrário, e nós veremos isso claramente neste estudo, caro leitor, mas o senso de justiça que o próprio Deus marcou nosso interior. É por isso que esse ensino de demônio incomoda tanto aos que ensinam e aqueles que ouvem.

Basta uma simples análise para ver o absurdo dessa questão. Seria justo dizer que alguém que pecou e fez maldades durante 10 SEGUNDOS deveria pagar por esse erro por toda a vida? Seria justo essa condenação tremenda por causa de 10 segundos? Pois é isso ou menos que equivale nossa vida de 90 anos na terra quando você estiver a 1 BILHÃO de anos no inferno sofrendo. Talvez seja por esses ensinos equivocados que existam tantos ateus.

Debatam esse assunto no Comentário deste blog. Troquem ideias entre vocês. Respondam uns aos outros, além de minhas respostas. Trocar conhecimento é sempre enriquecedor para todos. Que nosso Pai nos conduza a TODA verdade. A sua verdade!

“Quem tem ouvidos para ouvir, OUÇA..”

ARTIGOS RELACIONADOS NO LINK ABAIXO:
Inferno NÃO é fogo ETERNO! (11)

Notas e referências

1. Para um exame de pesquisa recente sobre a natureza do inferno, ver Samuele Bacchiocchi. Immortality or Resurrection? A Biblical Study on Human Nature and Destiny (Berrien Springs, Mich.: Biblical Perspectives, 1997), págs. 193-248.

2. Ver William V. Crocket, “The Metaphorical View”, em William Crockett, ed., Four Views of Hell (Grand Rapids, Mich.: Zondervan, 1992), págs. 43-81.

3. Billy Graham, “There is a Real Hell”, Decision 25 (Julho-Agosto 1984), pág. 2. Noutro lugar Graham pergunta: “Poderia ser que o fogo do qual Jesus falou é uma eterna busca de Deus que nunca é satisfeita? Isso, com efeito seria inferno. Estar separado de Deus para sempre, separado de sua Presença”. Ver The Challenge: Sermons From Madison Square Garden (Garden City, N.Y.; Doubleday, 1969), pág. 75.

4. Crockett, pág. 61.

5. Basil F. C. Atkinson, Life and Immortality: Examination of the Nature and Meaning of Life and Death as They are Revealed in The Scriptures (Taunton, England: E. Goodman, n.d.), págs. 85, 86.

6. Idem.

7. John Stott e David L. Edwards, Essentials: A Liberal-Evangelical Dialogue (London: Hodder and Stoughton, 1988), pág. 316.

8. M. McNamara, The New Testament and the Palestinian Targum to the Pentateuch (New York: Pontifical Biblical Institute, 1978), pág. 123.

9. Stott e Edwards, Essentials, págs. 318, 319.

Fonte:
BANZOLI, Lucas. “A Verdade Sobre o Inferno”

38 Comments

  1. Daniel Nunes

    E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.
    E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.
    Lucas 23:42,43
    A minha duvida é: se estão todos dormindo, porque Jesus a um dos malfeitores que “hoje estará comigo no paraíso?
    Lendo os comentários li outro tema que me intrigou, qual o seu conceito a certa da Trindade? Desde já agradeço.

    • Evangelho Perdido

      Olá, Daniel.

      Tem estudos no blog sobre suas duas dúvidas. Pesquise o assunto no campo BUSCA que você irá encontra-los.

      Será sempre bem-vindo por aqui.

      Um abraço carinhoso.

      Cris

      • Daniel Nunes

        Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho.
        Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei então o que deva escolher.
        Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor.
        Mas julgo mais necessário, por amor de vós, ficar na carne.
        Filipenses 1:21-24

        Paz do Senhor do Jesus! Confesso estar sendo até “perturbador” esses estudos, mas creio eu estar sendo de muita valia, conteúdo muito bem explicado e embasado. A fins investigatórios, venho sanar outra duvida, com fulcro no versículo postado acima. Quando Paulo afirma que o morrer é ganho, porque partiria para estar com Cristo, não da a entender que ele logo estaria com Jesus? Porque estar morto “dormindo” seria melhor do que viver, seria para Paulo a vida um peso?

        Desde de já agradeço e parabenizo, a igreja brasileira deste seculo esta realmente carente de intelectualidade e estudos como os seus acerca da palavra só vem a agregar valor no nosso crescimento em Cristo.

        • Evangelho Perdido

          Olá, Daniel. Graça e Paz, irmão.

          Pensa comigo.. Se um santo morrer nesse segundo, para ele, que APAGOU COMPLETAMENTE, ele se verá dormindo os anos que transcorrerem até a ressurreição, ou acordará, instantaneamente no dia da ressurreição?… Entende que para Paulo o morrer realmente é lucro? Não só para ele, como para todos os santos. Ninguém se vê dormindo, entende, Daniel? Será como fechar um segundo os olhos e abrir no dia da ressurreição.. Simples assim!

          Um abraço carinhoso.

          Cris

  2. Tarcísio Miguel

    Olá, irmão, tudo bem ?
    Conheci seu blog hoje, não sei se esta postagem é antiga, mas gostei muito. Vc é de grande conhecimento teológico.

    Mas tenho uma dúvida : esses dias eu tava lendo o livro de Daniel na bíblia. Não lembro o capítulo nem o versículo, mas lembro q tava falando sobre céu e inferno, e tava escrito assim : “quem não crê na eternidade de um, não crê na eternidade de outro”.

    Ainda estou com dúvidas sobre este assunto. O que vc me diz ?

    • Evangelho Perdido

      Olá, irmão Tarcísio.

      Procurei em Daniel o trecho que citou e não encontrei. Assim que encontrar o texto para para mim.

      Um abraço carinhoso.

  3. Rogerio

    So queria entender a preocupacao dos salvos se o inferno e eterno ou nao…

  4. Edivaldo

    Apocalipse 20:14 diz que a morte será lançada no lago de fogo. Sabemos que a morte não é uma entidade, uma pessoa ou um ser com personalidade. Desta forma o que esse verso quer dizer? Seria uma metáfora, ou seja, a completa extinção dela? Se a resposta é sim, como os não salvos vão herdar a “Morte Eterna” se a própria morte será aniquilada?

    • Evangelho Perdido

      Olá, Edivaldo.

      A morte será o último inimigo a ser vencido. Isso ocorrerá após o Milênio, depois do julgamento que ocorrerá após a segunda ressurreição. A morte ser lançada no Lago de Fogo é uma metáfora, sim, representando O FIM de sua atuação.

      “Quando este corpo corruptível estiver revestido da incorruptibilidade, e quando este corpo mortal estiver revestido da imortalidade, então se cumprirá a palavra da Escritura: A morte foi tragada pela vitória {Is 25.8}. Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão {Os 13,14}?” 1 Coríntios 15:54,55

      Simplifica a questão em seu coração. Não haverá mais morte após a última ressurreição depois do Milênio. E a vitória TOTAL SOBRE A MORTE será quando ela, simbolicamente.. e todos os ímpios forem EXTERMINADOS no lago de fogo. Esta será a segunda e definitiva morte. É simples assim.

  5. Vinícius

    Eu estou em dúvida, não sei em quê acreditar exatamente.
    Atualmente creio que quando a pessoa morrer ela não saberá de coisa alguma, até a primeira ressurreição, onde somente os salvos ressuscitarão, reinarão com Cristo por mil anos, depois os não-salvos ressuscitarão e após o julgamento final serão lançados no lago de fogo e sofrerão eternamente. Pois em Apocalipse 20:14 afirma que o lago de fogo será a segundo morte, se o salário do pecado é a morte podemos deduzir que o lago de fogo é o salário do pecado.

    • Evangelho Perdido

      Olá, irmão Vinícius.
      A sequência bíblica você falou quase toda corretamente. A pessoa morre, seu corpo aguarda na sepultura pela ressurreição (nenhuma alma ficará fora do corpo esperando nada, em nenhum lugar, quanto mais irá para o céu imediatamente ao morrer). A primeira ressurreição será apenas para os que morrerem como mártires, em todo o tempo da história e no fim, os mortos pelo anticristo. Estes ressuscitarão primeiro e reinarão mil anos com Cristo nesta terra.

      Após os mil anos, o restante dos mortos ressuscitarão. Haverá um julgamento. O livro da vida será aberto.. e também outros livros. O livro da vida será aberto para julgar os santos da segunda ressurreição… Os demais livros para as demais pessoas (criaturas e ímpios). Uns entrarão no reino e outros serão lançados no lago de fogo. O lago de fogo será para estes a segunda e definitiva morte. O lago de fogo será ETERNO em relação a seu efeito.. e não quanto a duração.

      O lago de fogo não é um FOGO ETERNO, mas um fogo que tornará a todos os que forem lançados nele em cinza. Creio que nem todos serão consumidos imediatamente, mas estou certa que o fogo do lado de fogo NÃO É ETERNO. Leia todos os artigos sobre essa categoria na lateral direita do blog.

      Um abraço carinhoso.

      Cris

  6. Macedo

    isso é tudo que eu tenho estudado durante anos, e é bom saber que existem pessoas que leem, interpretam, estudam e pensam ao invés de deixarem suas mentes serem moldadas por adestradores da cristandade.

    Jo. 8:32 E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

  7. Patrícia

    Olá. Li o artigo e achei interessantíssimo. Meditei sobre ele por vários dias e me veio algumas dúvidas que gostaria de expor pra você. 1- Se a alma salva viverá eternamente , não seria lógico supor que a que for condenada também é eterna e portanto não seria destruída no fogo? 2- Se o fogo destrói a alma matando-a, não seria certo supor que alguém que morre carbonizado, ou que seja cremado, já não teria alma pra ser salva ou condenada? Obrigada pela atenção.

    • Evangelho Perdido

      Olá, Patrícia! Obrigada por comentar neste blog. Desculpe a demora com essa resposta, tá bem? Vamos aos seus questionamentos.

      1- Se a alma salva viverá eternamente, não seria lógico supor que a que for condenada também é eterna e portanto não seria destruída no fogo?

      A ordem e forma dos acontecimentos finais em relação ao julgamento da humanidade foi DETERMINADA pelo Pai, a gente vendo lógica nisso ou não, achando justo ou não, entende? A nossa justiça é completamente DIFERENTE da justiça do Eterno. O que não podemos é AFIRMAR/ENSINAR coisas que o Eterno não disse e que não está em sua Palavra. Ele determinou o seguinte: VIDA ETERNA para os santos vencedores.. MORTE ETERNA (definitiva) para santos que não venceram e para os ímpios e perversos.

      Teríamos que desconsiderar uma infinidade de textos bíblicos que falam claramente sobre a ANIQUILAÇÃO completa dos ímpios se quisermos manter a crença que a recompensa dos ímpios será eterna, queimando no fogo.

      2- Se o fogo destrói a alma matando-a, não seria certo supor que alguém que morre carbonizado, ou que seja cremado, já não teria alma pra ser salva ou condenada?

      Mesmo ocorrendo uma cremação ou carbonização total de um ser humano antes do julgamento final, foi estabelecido que pelo Pai que TODOS seriam julgados. O que você não pode perder de vista com essa pergunta é que um PROCESSO JURÍDICO foi aberto com a queda da humanidade no Éden. Veredictos serão dados após a última trombeta. Essa foi a sequência que o Eterno PLANEJOU/DETERMINOU após a queda da humanidade e será essa a sequência dos acontecimentos em relação ao julgamento. O ensino sobre isso é claro. São duas sentenças: Vida eterna e morte eterna! O único ensino que sobra na questão é o tormento eterno no inferno. Isso não acontecerá, não importa o que seja pregado pela maioria da cristandade atualmente. A religião de Constantino ensinou este outros enganos.

      Da mesma forma que os santos ressuscitarão para receberem o veredicto claro de que foram vitoriosos, os ímpios também ressuscitarão, com os livros de seus atos diante deles, para receberem o veredicto do JUSTO JUÍZ… Após os ímpios receberem este veredicto e saberem qual foi ele, aí sim a pena capital e definitiva será EXECUTADA.. e qual será ela? A MORTE ETERNA. A primeira morte não foi eterna, com carbonização total ou não, mas a segunda será. OS ÍMPIOS SERÃO EXTERMINADOS, ELIMINADOS, DEFINITIVAMENTE. São mais de 152 versículos sobre isso no Antigo e Novo testamentos (veja o artigo “INFERNO: 152 versículos bíblicos de aniquilacionismo dos ímpios”).. Veja uma pequena amostra dos textos sobre aniquilação total dos ímpios:

      “No dia em que te manifestares farás deles uma fornalha ardente. Na sua ira o Senhor os devorará, um fogo os consumirá.” (Salmos 21:9)

      “Passada a tempestade o ímpio já não existe, mas o justo permanece firme para sempre.”(Provérbios 10:25)

      “Aqueles que o Senhor abençoa receberão a terra por herança, mas os que ele amaldiçoa serão eliminados.” (Salmos 37:22)

      “Pois os maus serão exterminados, mas os que esperam no Senhor receberão a terra por herança.” (Salmos 37:9)

      “Um pouco de tempo, e os ímpios não mais existirão, por mais que você os procure, não serão encontrados.” (Salmos 37:10)

      “Mas todos os rebeldes serão destruídos, futuro para os ímpios nunca haverá.” (Salmos 37:38)

      “A desgraça matará os ímpios, os que odeiam os justos serão condenados.” (Salmos 34:21)

      “Mas os ímpios perecerão, os inimigos do Senhor murcharão como a beleza dos campos, desvanecerão como a fumaça.” (Salmos 37:20)

      “Até quando maquinareis o mal contra um homem? Sereis mortos todos vós, sereis como uma parede encurvada e uma sebe prestes a cair.” (Salmos 62:3)

      “E trará sobre eles a sua própria iniquidade; e os destruirá na sua própria malícia; o Senhor nosso Deus os destruirá.” (Salmos 94:23)

      “Sejam os pecadores da terra eliminados e deixem de existir os ímpios.” (Salmos 104:35)

      “Eles sofrerão a pena da destruição eterna, a separação da presença do Senhor e da
      majestade do seu poder.” (2Tessalonicenses 1:9)

      No artigo eu não entrei em detalhes sobre os GRAVES erros de tradução causados pela Septuaginta e a Vulgata para reforçar o engano sobre o inferno. Muitos textos bíblicos SOBRE A MORTE ETERNA foram alterados para fortalecer ensinos que nunca partiram do Eterno. Pesquise e você verá estas traduções alteraram vários versículos bíblicos para “divulgarem” ensinos de demônios. Do mesmo jeito que em nenhuma parte dos originais fazem qualquer alusão ou fala alguma coisa sobre a Trindade, pois estes trechos apareceram após traduções. Foram inclusões e alterações DESCARADAS para reforçar a mensagem enganosa da religião de Constantino chamada CRISTIANISMO, religião esta nascida nos diversos concílios após o ano 300 dc. Pesquise!

      Ainda assim, a Palavra nos transmite TUDO que precisamos saber para formar Cristo em nosso interior e sermos filhos vencedores!

      Um abraço carinhoso!

      Cris

  8. Fernanda

    O seu texto apresenta alguma coerência. Contudo, como seria a explicação da seguinte passagem:
    “Ora, havia um homem rico, e vestia-se de púrpura e de linho finíssimo, e vivia todos os dias regalada e esplendidamente. Havia também um certo mendigo, chamado Lázaro, que jazia cheio de chagas à porta daquele; e desejava alimentar-se com as migalhas que caíam da mesa do rico; e os próprios cães vinham lamber-lhe as chagas. E aconteceu que o mendigo morreu, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico, e foi sepultado. E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio. E, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e manda a Lázaro, que molhe na água a ponta do seu dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro somente males; e agora este é consolado e tu atormentado. E, além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá passar para cá. E disse ele: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à casa de meu pai, pois tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham também para este lugar de tormento. Disse-lhe Abraão: Têm Moisés e os profetas; ouçam-nos. E disse ele: Não, pai Abraão; mas, se algum dentre os mortos fosse ter com eles, arrepender-se-iam. Porém, Abraão lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco acreditarão, ainda que algum dos mortos ressuscite.”

  9. Huan

    Olá, as alterações nas passagens bíblicas são cada vez mais evidentes, principalmente com os inúmeros aplicativos que são criados para celular hoje em dia. digo isso por ja ter folheado algumas e utilizar também alguns aplicativos e notar diferenças em seus trechos, mas o que mais me espantou foi certa vez eu pedir para meu irmão ler um determinado livro da bíblia no capitulo e versículo correspondente, uma mensagem que iria deixa-lo feliz e mostra a minha gratidão, pois assim era a mensagem lida por mim na minha bíblia, porem minutos depois ele me retorna super triste por não entender o por que de eu estar mandando aquilo pra ele, e quando ele me disse o que havia lido em sua bíblia vi que era totalmente o contrário do que eu tinha lido na minha e longe de fazer parte do que era a minha real intenção com a mensagem. Acabei me perguntando no acreditar de fato no que as bíblias de hoje em dia dizem? e agora lendo seu blog venho te pergunta qual tradução você indicaria para aqueles que querem conhecer a verdadeira palavra ou ao menos sem tantas enganações?

    • Evangelho Perdido

      Olá, Huan! Compreendo muito bem a sua preocupação. Sugiro que leia um artigo muito interessante sobre essa questão no link a seguir: http://logosapologetica.com/qual-a-melhor-versao-da-biblia/.
      Isso pode ajudar você bastante.

      Um abraço carinhoso.

      Cris

    • Legal gostei muito do site me deu paz de espírito..

  10. Luiz moraes

    qual a sua interpretação sobre 1pedro 3 19-20 que jesus foi e pregou para os espíritos em prisão ,quem era eles?

  11. Muito bom.

  12. carlos

    Só mais uma pergunta, voce acha que alguem vai temer um castigo que será por tempo limitado? se vai ser por tempo limitado, não há o que temer! outra:voce acha que o Diabo teme a aniquilação? isso será um premio pra ele

    • Cris Molulo

      Carlos, você pensa como a MAIORIA da cristandade. NUNCA foi intenção do Eterno que a humanidade tivesse uma relação com Ele por MEDO da condenação que isso acarretaria se eles o rejeitassem. Ele não intensificaria o castigo visando a rendição dos homens. O livre-arbítrio é a prova disso..

      O plano sempre foi: “Me ame de todo coração e ande comigo neste mundo… Se você se afastar, vai morrer por um simples motivo.. o fato de eu não poder me aproximar de pecado.. e, se eu não puder me aproximar de você por causa do seu pecado, você ficará a mercê de todo mal nesse mundo e se contaminará completamente e definitivamente por ele, se não se voltar para mim a tempo. A sua rejeição a vida ao meu lado acarretará sua morte eterna… Me fiz carne para que tivesse vida.. e vida em abundância. Escolhe pois a vida para que viva.”… Simples assim.. Vida eterna ou Morte eterna…Não condiz com a natureza do Criador expressa em toda a Escritura, um castigo terrível para INTIMIDAR os homens. Aniquilação total, morte eterna, isso por si só já é terrível. Nossa humanidade não consegue conceber o que é isso, o que significa DEIXAR DE EXISTIR para sempre. Fomos criados para eternidade e deixar de existir para sempre não é um castigo suave. Mas, não importa se achamos um castigo suave ou terrível. O foco do Eterno nunca foi o castigo, mas a vida eterna para a humanidade. Ele não está nem um pouco preocupado se os homens acham fraco ou forte o destino para os ímpios que ele definiu.

      Você acha mesmo que apenas para manter a humanidade APAVORADA nosso Criador planejaria um castigo terrível e para sempre? Acha mesmo que ele precisava fazer isso para que, como cordeiros desesperados, as pessoas o servissem?…. Esse pensamento é TOTALMENTE condizente com nossa humanidade caída, contaminada. A vingança imperfeita, impregnada em nós por causa do pecado, aplaudiu de pé e aceitou sem constestar esse ensinamento greco-romano: “Se não se converter, será punido de uma forma cruel e para sempre”.. Gostamos disso e achamos isso correto. E achamos isso certo, porque nossa JUSTIÇA É COMPLETAMENTE DOENTE, CAÍDA, CONTAMINADA. Mas este NUNCA foi o plano do Eterno. Não adianta os homens se estribucharem, afirmando esse engano tão veentemente. Sei que o pensamento de uma condenação terrível para os que rejeitarem ao Criador é a única coisa que alivia a nossa justiça torpe, mas NÃO CONDIZ com a verdade.

      • junior

        Nossa incrivel,como posso ver isso agora com tanta clareza. A vida toda aprendi da forma errada que se fosse julgado e culpado iria arder pra sempre no fogo. Emgraçado que agora sabendo q se for julgado e condenado vou deixar de existir pra sempre me deixa com mais medo do que antes. Pois qual é o maior medo do ser humano morrer deixar de existir pelo menos é o meu. Agora que quero buscar a salvação com mais força.

        • A morte já é a punição adequada para quem comete pecados. Pois o individuo não pecará mais e já foi punido aqui na terra com a própria morte.
          Ele não estará feliz, pois não existirá mais. Sua consciência se foi e com isso ele jah pagou oq devia. Ele não sofre, mas tb não tem paz, simplesmente sumiu.
          Essa punição é mais do que justa

          • Fernanda

            Punição? Deixar de existir seria uma benção. Nunca mais sofrer e não ter consciência de nada seria maravilhoso. Se é assim e não há inferno nos moldes tradicionais, para as pessoas que sobrem dores horríveis, o melhor seria o suicídio,

          • Evangelho Perdido

            Olá, Fernanda.
            Veja a resposta que dei ao comentário do Carlos, ao fim deste mesmo artigo. Para Deus não importa o que suas criaturas pensam sobre o peso e medida da punição. Ele está mais interessado que seus Filhos vençam e que estejam prontos para atuar poderosamente no seu Reino Eterno. Os que preferirem deixar de existir, terão feito sua escolha e ponto final. NUNCA foi intenção do Eterno que a humanidade tivesse uma relação com Ele por MEDO da condenação que isso acarretaria se eles o rejeitassem. Ele não intensificaria o castigo visando a rendição dos homens. O livre-arbítrio é a prova disso..

            O plano sempre foi: “Me ame de todo coração e ande comigo neste mundo… Se você se afastar, vai morrer por um simples motivo.. o fato de eu não poder me aproximar de pecado.. e, se eu não puder me aproximar de você por causa do seu pecado, você ficará a mercê de todo mal nesse mundo e se contaminará completamente e definitivamente por ele, se não se voltar para mim a tempo. A sua rejeição a vida ao meu lado acarretará sua morte eterna… Me fiz carne para que tivesse vida.. e vida em abundância. Escolhe pois a vida para que viva.”… Simples assim.. Vida eterna ou Morte eterna…

            Um abraço carinhoso.

    • Adcarlos

      A doutrina do inferno foi enxertada pela igreja católica no cristianismo para aterrorizar as pessoas com intuito de levá-las a submissão.
      O Eterno não quer que ninguém o siga por medo ou terror. Deus não quer que ninguém tenha medo de nada. Ele quer que vivamos em amor e não medo.
      Existe muitos cristão que estão nas igrejas apenas pelo medo do inferno, e isso não é desejo do Todo Poderoso.

      • Dário Ferreira do Nascimento

        O esclarecimento deste estudo, só nos faz admirar, a grandeza onisciente de um Deus, que mesmo em nosso preconceito deturpado sobre oque seria justo para o impio, não mede esforços pra nos trazer significativos e coerentes esclarecimentos., Que muitos e sinceros corações se renda a essa maravilhosa mensagem é minha oração., João 8:32.

  13. carlos

    “Basta uma simples análise para ver o absurdo dessa questão. Seria justo dizer que alguém que pecou e fez maldades durante 10 SEGUNDOS deveria pagar por esse erro por toda a vida? Seria justo essa condenação tremenda por causa de 10 segundos? Pois é isso ou menos que equivale nossa vida de 90 anos na terra quando você estiver a 1 BILHÃO de anos no inferno sofrendo. Talvez seja por esses ensinos equivocados que existam tantos ateus”
    Resposta: eu poderia e mais tarde eu até quero analisar os outros argumentos deste site, mas por ora vou me deter a esse.esse argumento de me fez levantar algumas questões:
    1-Como alguem vai ser recompensado no céu eternamente por apenas meses de serviços a Deus na terra?isso é proporcional?
    2-Deus vai ressuscitar os impios para aniquila-los depois? Deus vai ressuscitar os impios para que eles paguem por pecados finitos, pecados de uma vida tão passageira? isso é justo?
    3-Não é contraditorio?como alguem pode ficar ausente do céu por toda a eternidade por pecados que duraram segundos?
    4-O problema do ateu está nele mesmo.a biblia diz:disse o nescio no seu coração:não há Deus.(SALMO 14:1).A biblia não está dizendo que o ateu existe por causa da doutrina da imortalidade da alma.Na verdade o ateismo existe por causa da natureza caida do homem, ainda que todas as denominações fossem aniquilacionistas , haveria ateu ! a doutrina da aniquilação não é um antidoto para o ateismo, até porque se fosse assim não era para as denominações que pregam o aniquilacionismo estarem cheias de ex-ateus? na verdade o Deus que ateus querem nenhuma denominação pode dar, pois o Deus que eles querem é um Deus politico, que resolva todos os problemas do mundo.O Deus que puniu os pecadores no diluvio e que mandou matar até criança de peito eles não querem.

    • Cris Molulo

      1-Como alguem vai ser recompensado no céu eternamente por apenas meses de serviços a Deus na terra? isso é proporcional?
      Na verdade, Carlos, essa sua linha de pensamento é um beco sem saída. As minhas colocações sobre se é justo ou não isso ou aquilo foi apenas pontual e irrelevante, por isso não cabe sobre isso nenhuma análise. E por que não? Porque a nossa justiça é completamente DIFERENTE da justiça do Eterno. E outra coisa. A ordem dos acontecimentos finais em relação ao julgamento da humanidade foi DETERMINADA pelo Pai, a gente achando justo ou não. O que não podemos é AFIRMAR/ENSINAR coisas que o Eterno não disse e que não está em sua Palavra.

      A essa sua pergunta, o próprio Jesus lhe responde com a parábola dos trabalhadores da vinha: “Ao cair da tarde, o dono da vinha disse a seu administrador: ‘Chame os trabalhadores e pague-lhes o salário, começando com os últimos contratados e terminando nos primeiros’. Vieram os trabalhadores contratados por volta das cinco horas da tarde, e cada um recebeu um denário. Quando vieram os que tinham sido contratados primeiro, esperavam receber mais. Mas cada um deles também recebeu um denário. Quando o receberam, começaram a se queixar do proprietário da vinha, dizendo-lhe: ‘Estes homens contratados por último trabalharam apenas uma hora, e o senhor os igualou a nós, que suportamos o peso do trabalho e o calor do dia’. “Mas ele respondeu a um deles: ‘Amigo, não estou sendo injusto com você. Você não concordou em trabalhar por um denário? Receba o que é seu e vá. Eu quero dar ao que foi contratado por último o mesmo que lhe dei. Não tenho o direito de fazer o que quero com o meu dinheiro? Ou você está com inveja porque sou generoso?” (Mateus 20:8-15)… Na verdade, caro Carlos, vou repetir: Eu NÃO devia ter incluido no artigo uma análise sobre justiça. A nossa justiça NUNCA pode ser analisada, comparada em relação a Justiça do Eterno, que é perfeita. A nossa é falha, imparcial, incompleta, contaminada. Em relação a essa sua questão está claro na palavra sobre o que o Eterno pensa em relação a recompensar os santos. Muitos ou poucos “meses de serviço” não importa para ele. É um fato que teríamos que desconsiderar uma infinidade de textos bíblicos que fala claramente sobre a ANIQUILAÇÃO completa dos ímpios se quisermos manter a crença que a recompensa dos ímpios será eterna, queimando no fogo.

      2-Deus vai ressuscitar os impios para aniquila-los depois? Deus vai ressuscitar os impios para que eles paguem por pecados finitos, pecados de uma vida tão passageira? isso é justo? 3-Não é contraditorio? como alguem pode ficar ausente do céu por toda a eternidade por pecados que duraram segundos?
      Nessa questão, o que pouco importa aqui é os ímpios serem ressuscitados para depois serem aniquilados. O que conta aqui é que um PROCESSO JURÍDICO foi aberto com a queda. Veredictos serão dados após a última trombeta. Essa foi a sequência que o Eterno PLANEJOU/DETERMINOU após a queda da humanidade, será essa a sequência dos acontecimentos em relação ao julgamento. O ensino sobre isso é claro. São duas sentenças: Vida eterna e morte eterna! O único ensino que sobra na questão é o tormento eterno no inferno. Isso não acontecerá, não importa o que seja pregado pela maioria da cristandade atualmente. A religião de Constantino ensinou este outros enganos.

      O pecado gera a morte. Ao final, teremos duas ressurreições: a primeira para os santos e comprometidos com o Messias, que tiverem seus nomes escritos no livro da vida.. a segunda, após o milênio, para os ímpios, aqueles que rejeitaram a salvação e/ou trabalharam em parceria literal com o inferno.. Da mesma forma que os santos ressuscitarão para receberem o veredicto claro de que foram vitoriosos, os ímpios também ressuscitarão, com os livros de seus atos diante deles, para receberem o veredicto do JUSTO JUÍZ… Após os ímpios receberem este veredicto e saberem qual foi ele, aí sim a pena capital e definitiva será EXECUTADA.. e qual será ela? A MORTE ETERNA. A primeira morte não foi eterna, mas a segunda será. OS ÍMPIOS SERÃO EXTERMINADOS, ELIMINADOS, DEFINITIVAMENTE. São mais de 152 versículos sobre isso no Antigo e Novo testamentos (veja o artigo “INFERNO: 152 versículos bíblicos de aniquilacionismo dos ímpios”).. Como podemos ficar agarrados a um ensino greco-romano como se fosse uma verdade do eterno? Veja uma pequena amostra dos textos sobre aniquilação total dos ímpios:

      “No dia em que te manifestares farás deles uma fornalha ardente. Na sua ira o Senhor os devorará, um fogo os consumirá.” (Salmos 21:9)

      “Passada a tempestade o ímpio já não existe, mas o justo permanece firme para sempre.”(Provérbios 10:25)

      “Aqueles que o Senhor abençoa receberão a terra por herança, mas os que ele amaldiçoa serão eliminados.” (Salmos 37:22)

      “Pois os maus serão exterminados, mas os que esperam no Senhor receberão a terra por herança.” (Salmos 37:9)

      “Um pouco de tempo, e os ímpios não mais existirão, por mais que você os procure, não serão encontrados.” (Salmos 37:10)

      “Mas todos os rebeldes serão destruídos, futuro para os ímpios nunca haverá.” (Salmos 37:38)

      “A desgraça matará os ímpios, os que odeiam os justos serão condenados.” (Salmos 34:21)

      “Mas os ímpios perecerão, os inimigos do Senhor murcharão como a beleza dos campos, desvanecerão como a fumaça.” (Salmos 37:20)

      “Até quando maquinareis o mal contra um homem? Sereis mortos todos vós, sereis como uma parede encurvada e uma sebe prestes a cair.” (Salmos 62:3)

      “E trará sobre eles a sua própria iniquidade; e os destruirá na sua própria malícia; o Senhor nosso Deus os destruirá.” (Salmos 94:23)

      “Sejam os pecadores da terra eliminados e deixem de existir os ímpios.” (Salmos 104:35)

      “Eles sofrerão a pena da destruição eterna, a separação da presença do Senhor e da
      majestade do seu poder.” (2Tessalonicenses 1:9)

      No artigo eu não entrei em detalhes sobre os GRAVES erros de tradução causados pela Septuaginta e a Vulgata. Estou preparando um estudo apenas sobre isso. Muitos textos bíblicos SOBRE A MORTE ETERNA foram alterados para fortalecer ensinos que nunca partiram do Eterno. Pesquise, Carlos, e você verá estas traduções alteraram vários versículos bíblicos para “divulgarem” ensinos de demônios. Do mesmo jeito que em nenhuma parte dos originais fazem qualquer alusão ou fala alguma coisa sobre a Trindade, pois estes trechos apareceram após traduções. Foram inclusões e alterações DESCARADAS para reforçar a mensagem enganosa da religião de Constantino chamada CRISTIANISMO, religião esta nascida nos diversos concílios após o ano 300 dc. Pesquise!

      4-O problema do ateu está nele mesmo.a biblia diz:disse o nescio no seu coração:não há Deus.(SALMO 14:1).A biblia não está dizendo que o ateu existe por causa da doutrina da imortalidade da alma.Na verdade o ateismo existe por causa da natureza caida do homem, ainda que todas as denominações fossem aniquilacionistas , haveria ateu ! a doutrina da aniquilação não é um antidoto para o ateismo, até porque se fosse assim não era para as denominações que pregam o aniquilacionismo estarem cheias de ex-ateus? na verdade o Deus que ateus querem nenhuma denominação pode dar, pois o Deus que eles querem é um Deus politico, que resolva todos os problemas do mundo.O Deus que puniu os pecadores no diluvio e que mandou matar até criança de peito eles não querem.

      Seu comentário sobre o ateísmo foi aprofundado demais para rebater a minha frase tão simples e descomplicada. Foi um comentário sem nenhum peso na sentença, mas apenas para reforçar a problemática clara que é ENSINAR uma coisa que o Eterno não deixou escrito. E é justamente isso que a cristandade faz hoje.

      Um abraço e não deixe de voltar. Será sempre MUITO BEM-VINDO!

      • Luiz Fernando

        Olá Cris Molulo
        Boa noite
        Tudo bom?
        O inferno eterno ( Geena) é eterno sim veja em Mateus 25:46.
        Se depois de um substantivo de ação vem um resultado permanente ou irrevesível então depois de Hebreus 6:2 vem o castigo de Mateus 25:46 logo o castigo em Mateus 25:46 será eterno pois veio depois de um substantivo de ação conforme Hebreus 6:2.

        Um abraço e felicidades
        Luiz Fernando

        • Evangelho Perdido

          Olá, Luiz Fernando!
          Esse é o principal e mais famoso versículo utilizado pelos defensores da doutrina da Imortalidade da Alma.. Vamos a ele, com todo carinho do meu coração:

          “E irão eles para o castigo eterno, mas os justos irão para a vida eterna”“E irão eles para o castigo eterno, mas os justos irão para a vida eterna” (Mateus 25.46)

          No grego:

          “kai apeleusontai outoi eis kolasin aiônion oi de dikaioi eis zôên aiônion”

          Os dualistas tem visto neste versículo uma suposta “prova” de que Jesus ensinava o tormento eterno no inferno. Nada mais falso do que tal afirmação, pois Jesus aqui nada fala de tormento. A tradução errada é que causa essa confusão e engano todo. Aqui Jesus fala de punição, como aponta o léxico da Concordância de Strong:

          Significado de kolasin:

          2851 κολασις kolasis
          de 2849; TDNT – 3:816,451; n f
          1) correção, punição, penalidade.

          Portanto, uma tradução mais plausível do verso seria “punição eterna” (como traduz a King James – “everlasting punishment”), e não “tormento eterno”. Se Cristo quisesse passar a ideia de tormento, como creem os imortalistas, teria feito uso da palavra grega basanos, que significa exatamente “tortura, tormento, dores agudas”[2], de acordo com esse mesmo léxico da Concordância de Strong. E se Mateus tivesse a intenção de passar tal ideia de um tormento eterno sendo expresso aqui neste verso, ele teria essa opção pronta, a mão, que poderia ter sido perfeitamente utilizada.

          Porém, a “punição” que o texto se refere não está no sentido de tormento, que seria basanos e não kolasin. Mas em qual outro sentido estaria? Ora, a pena de morte também é uma punição. Quando alguém é condenado a pena de morte, isso de modo algum deixa de ser uma punição a ele – se não é uma punição, o que mais seria? Uma recompensa? É evidente que “punir” alguem não implica necessariamente em fazer que este alguém seja atormentado, pois a morte também é tratada (tanto por Deus como pelos homens) como sendo uma punição, uma penalidade, conhecida como “pena de morte”.

          Sendo assim, o sentido do texto não seria de tormento eterno, mas de morte eterna. O texto estaria contrastando aqueles que iriam para a morte eterna com aqueles que iriam para a vida eterna, como a Bíblia faz frequentemente (cf. Dt.30:15; 19:2; 2Sm.15:21; Pv.12:28; 13:14; 14:27; 18:21; Jr.8:3; 21:8; 52:34; Jo.5:24; Rm.5:10,17,21; 6:4,10; 7:10; 8:6,38; 2Co.2:16; 4:11,12; Fp.1:20,; 1Jo.3:14; 5:16), e não contrastando vida eterna e tormento eterno, que não possui apoio bíblico. Corrobora com isso o sentido do uso de kolasin na época de Cristo. O Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento dá o seguinte significado para kolasin:

          “Kolasin = Castigo. Deriva-se de Kolos, ‘mutilar’, ‘cortar fora’; é usado figuradamente para ‘impedir’, ‘restringir’, ‘punir’”

          Como vemos, seu uso primário é de “mutilar” ou “cortar fora”, é neste sentido que ele é usado como punição. O respeitado Dicionário de Grego Clássico, editado por Lidell e Scott (que não são mortalistas) mostra o uso de kolasin nos mais diferentes escritos dos primeiros séculos e concluiu que ele descreve “um método drástico de interromper o crescimento da amendoeira”[3]. Como é perceptível, kolasin é uma punição não em um sentido vago, mas especificamente uma figura de aniquilacionismo, exatamente como fazem com as amendoeiras. A obra intitulada A Critical Lexicon and Concordance to the English and Greek New Testament, de E. W. Bullinger, também dá este mesmo sentido a kolasin:

          “Kolasin. Restringir, cortar curto, podar, manter dentro de limites, interromper, punir… o castigo futuro pelo pecado é claramente definido como morte e destruição”

          O The Classic Greek Dictionary (16ª Edição, 1962), do PhD George Ricker Berry, concorda com tudo isso e dá o seguinte significado a kolazo:

          “Podar, cercear… metaforicamente: castigar, corrigir, punir”

          O Theological Dictionary of the New Testament (Volume III, 1965), de Gerhard Kittel, diz que o verbo significa fundamentalmente: “mutilar, decepar”. O Young’s Analytical Concordance, do Dr. Young, define kolasin como: “podar, restringir”[4]. A nota de rodapé da versão The Emphatic Diaglott traz os seguintes significados para kolasin:

          Kolasin, deriva-se de kolazo, que significa:
          1) Decepar, como no truncamento de ramos de árvores, podar.
          2) Restringir, reprimir.
          3) Castigar, punir. Extirpar alguém da vida, ou da sociedade, ou mesmo restringir, é tido como castigo.

          Outro fato que corrobora com tudo isso que vimos sobre kolasin é que tal verbo deriva de kolazo, que, de acordo com o léxico da Concordância de Strong, significa:

          2849 κολαζω kolazo
          de kolos (enfezar); TDNT – 3:814,451; v
          1) podar ou debastar, como árvores e asas.
          2) controlar, reprimir, restringir.
          3) punir, castigar, corrigir.
          4) fazer ser punido.

          Novamente vemos que a punição está relacionada não a um tormento, mas a cortar fora, decepar, mutilar, como se fazem com as árvores. O Léxico Grego do Novo Testamento NAS define kolazo como sendo:

          1) Cortar galhos ou podar, como árvores e asas.
          2) Frear, verificar, coibir.
          3) Castigar, punir, corrigir.
          4) Fazer com que sejam punidos.

          Mais uma vez, é acentuando que o significado primário de tal verbo é de cortar algo, e seu sentido secundário deve estar relacionado ao seu sentido principal, e não a um que sequer faça parte do significado primário ou secundário de tal palavra, como o “tormento” que creem os imortalistas. Os Dicionário Vine do Antigo e Novo Testamento e o Thayer’s and Smith’s Bible Dictionary também definem kolazo como cortar, e não como atormentar:

          Dicionário Vine
          2849 kolazo
          1) Primariamente: aparar, podar, cortar curto.

          Thayer’s and Smith’s Bible Dictionary
          1) Cortar galhos, podar, como árvores, asas.

          Vale ressaltar que todos estes léxicos famosos mostrados acima não foram escritos nem por adventistas nem por testemunhas de Jeová; ao contrário, foram elaborados por eruditos bíblicos de diferentes denominações evangélicas e tais léxicos são constantemente utilizados pelos próprios imortalistas. Portanto, não estamos fazendo uso de dicionários bíblicos tendenciosos ou manipulados propositalmente, mas de fontes cujos autores criam na imortalidade da alma mas em seus trabalhos mantiveram os significados reais de kolasin.

          Como vemos, kolasin era usado na época de Cristo, nunca para indicar um tormento sem fim, mas sim para acentuar o caráter bíblico do aniquilamento dos ímpios [morte eterna; segunda morte] que serão “mutilados”, “cortados fora” ou “despedaçados”, assim como as árvores que tinham seus galhos cortados. Essa analogia é feita para ressaltar o aspecto irreversível da destruição completa dos pecadores, mas nunca de um processo de tormento infindável. Jesus estava acentuando o contraste entre a vida eterna dos justos e a morte eterna dos ímpios, que serão mutilados e despedaçados (figuras de aniquilacionismo), cortados fora do Seu Reino.

          O contraste, portanto, era entre vida eterna e morte eterna, entre existência eterna e inexistência eterna, e não entre vida eterna no Céu ou no inferno. Nenhum significado primário ou secundário de kolasin designa tormento, mas a etimologia da palavra nos demonstra que ela era usada nos tempos de Cristo não como um tormento sem fim, mas no sentido de pena capital, isto é, o despedaçamento, a morte. Corrobora com isso toda a hermenêutca bíblica, pois em toda a Escritura é precisamente esse o ensinamento expresso tanto no Antigo como no Novo Testamento.

          Um abraço e VOLTE SEMPRE!

          • Roberto

            Resposta muito convincente. Estou estudando mais esse assunto e me convencendo da doutrina da aniquilação dos ímpios, embora ainda não esteja 100% convencido. Fica na paz!

        • Adcarlos

          A aniquilação do ímpio realmente será eterna, ele nunca voltará a viver.

          • Luiz fernando

            Deus é amor infinito, mas não é ódio infinito. Por isso o céu é eterno e o inferno não.
            Castigo e recompensa são duas coisas que não são proporcionais. Por exemplo, se vc faz algo errado, sua mãe te bate, mas não ficará te batendo até o fim da sua vida. As marcas durarão alguns dias e sumirão.

            Mas se vc faz algo bom, vc pode ganhar um presente que se for bem cuidado durará a vida inteira. Por isso a recompensa de uma com deus na terra é uma vida eterna. O presente de deus dura para sempre pq seu amor é eterno, mas seu castigo não.

    • Adcarlos

      O impio será ressuscitado para ser aniquilado sim. Só haverá um julgamento. O Eterno irá ressuscitar a todos para dar a cada um segunda as suas obras diz a palavra.

      Deus “retribuirá a cada um conforme o seu procedimento”. Romanos 2:6
      O pecado é transgressão de lei.
      Todo aquele que pratica o pecado transgride a Lei; de fato, o pecado é a transgressão da Lei. 1 João 3:4
      Se vc transgrediu a lei pela lei será julgado. E para ser julgado é necessário ser ressuscitado.
      Todos tem direito ao julgamento, até com os seres humanos é assim.
      Ninguém pode ser condenado sem que haja um julgamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *