Inferno NÃO é fogo ETERNO!

Os ímpios que morreram já estão no inferno?

O castigo é no dia do Juízo ou agora mesmo, para os que morrerem sem Cristo?

Pedro não poupou clareza em se tratando de negar completamente a imortalidade da alma. Em 2 Pedro 2:9 lemos que: “O Senhor sabe entregar o devoto fora das tentações, e reservar os injustos para o dia do juízo para ser punido” (cf. 2Pe.2:9).

Os ímpios não estão já sendo punidos, eles estão “reservados” para o dia do juízo em que, aí sim, serão punidos. Se eles estão reservados para o dia em que serão punidos é porque não estão sendo punidos ainda. Se eles já estivessem queimando em algum lugar, já estariam sendo punidos. À luz deste texto bíblico tão ferrenhamente contra a punição atual dos ímpios, algumas traduções como a Almeida Atualizada tomaram a liberdade de traduzi-lo da seguinte maneira:

“Também sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reservar para o dia do juízo os injustos, que já estão sendo castigados” (2 Pedro 2:9)

Contudo, esta tradução não corresponde com o original grego, mas sim com as pretensões dos
defensores da imortalidade da alma em salvarem sua doutrina antibíblica de que os ímpios já estão sendo castigados agora.

O original grego traz: “krisewV kolazomenouV threin” – reservados para condenação – e as palavras gregas “hmeran krisewV” empregadas no verso mostram quando é que se dará essa punição: “hmneran krisewV” – dia do juízo [julgamento, condenação]. É impossível que algum tradutor bíblico tenha falhado na tradução deste verso de forma não-intencional ou acidental, sendo que ele é de tão fácil tradução e assim é feito pelas melhores versões do mundo, como a versão inglesa King James, conhecida mundialmente pela sua tradução fiel aos originais da Bíblia, traduzindo este verso da seguinte maneira:

“The Lord knoweth how to deliver the godly out of temptations, and to reserve the unjust unto the day of judgment to be punished”

“O Senhor sabe como livrar os piedosos da tentação, e reservar os injustos para o dia do
julgamento, para serem punidos”

Essa tradução correta também é a mesma tradução das melhores versões do mundo, como a
tradução de Reina Valera (Espanha), que assim traduz:

“Sabe el Señor librar de tentación á los píos, y reservar á los injustos para ser atormentados en el día del juicio”

“O Senhor sabe livrar da tentação os justos, e reservar os injustos para serem atormentados no dia do juízo”

Mais traduções que trazem que os injustos só serão punidos no dia do juízo, além do próprio texto original no grego de acordo com a Concordância de Strong, é a Young’s Literal Translation, a Luther (1912), a Giovanni Diodati Bible (1649), a Louis Segond (1910), entre outras. Por incrível que pareça, nesse quesito até mesmo as traduções católicas superaram as protestantes em língua portuguesa, pois tanto a Ave Maria como a CNBB traduziram por “reservar os ímpios para serem castigados no dia do juízo” e por “reserva os ímpios para o castigo no dia do julgamento”. Uma das versões protestantes da Bíblia em português que se salva é a Almeida Corrigida e Revisada Fiel, que verteu por “reservar os injustos para o dia do juízo, para serem castigados”, corrigindo o equívoco das traduções anteriores.

A clareza da linguagem é indiscutível: os ímpios não estão sendo punidos ainda, mas estão
reservados para o dia do juízo, quando aí sim serão punidos. Para o apóstolo Pedro, os ímpios não estavam sendo castigados no presente momento, mas o momento em que serão castigados era no dia do juízo. A lógica é indiscutível:

(1) Os ímpios estão “reservados” para serem castigados “no dia do juízo” (cf. 2Pe.2:9).

(2) Este juízo é um um acontecimento futuro na volta de Cristo (cf. 2Tm.4:1; At.7:31; 1Pe.4:5).

(3) Logo, os ímpios não estão sendo castigados atualmente.

Essa lógica de Pedro é como um golpe de morte na visão tradicional e comum que se tem do inferno, onde todos os não-salvos já estariam entre as chamas de um fogo devorador neste exato momento, sofrendo pelos seus pecados ao passo que os justos já estariam na glória. Pedro neste verso especificamente não fala nada sobre a condição atual dos salvos, mas nos dá uma pista importantíssima que nos ajuda a refutar a tese da imortalidade da alma: que os ímpios não estão sendo castigados ainda.

Tal castigo é futuro, não é algo que já esteja em andamento. Os ímpios estão “reservados” (em suas sepulturas) para o dia do juízo (na segunda vinda de Cristo, quando ocorre a  ressurreição) em que serão castigados. A doutrina pagã da imortalidade da alma tenta a todo custo reverter este raciocínio, tentando nos convencer que o castigo dos ímpios já é atual e que depois do juízo apenas haverá uma continuação deste tormento já existente. Nada que esteja mais longe da teologia de Pedro, onde vemos que a punição e o castigo é algo lançado no futuro, e que os ímpios estão “reservados” a sofrer, e não que já estejam sofrendo neste momento.

A punição dos ímpios é um acontecimento futuro – Em 2 Pedro 2:6 o apóstolo Pedro reafirma sua crença com relação ao destino final dos ímpios: “Também condenou as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinzas, tornando-as exemplo do que acontecerá aos ímpios” (cf.
2Pe.2:6). “Reduzindo-os a cinzas”! Que péssima figura de linguagem para alguém que terá uma vida eterna no inferno! Por meio deste texto percebemos que, além da redução às cinzas por parte dos ímpios (o que de modo algum se relaciona a uma “imortalidade”, como ensinam os dualistas), o apóstolo Pedro é claro em referir-se a punição dos ímpios como algo futuro. Novamente, a confirmação de que os ímpios não estão queimando ainda.

Se os ímpios já estivessem sendo castigados e sofrendo no presente momento, Pedro
escreveria que “está acontecendo aos ímpios”, e não “daquilo que acontecerá aos ímpios”.
O apóstolo deixa mais do que claro que o tempo dos ímpios serem castigados é no futuro, do
que “acontecerá” com os ímpios, e não daquilo que já está acontecendo com eles.

Não resta sombra de dúvida nenhuma que, na visão de Pedro, a punição/castigo e destruição
dos ímpios sempre foi considerado um acontecimento futuro, que lhes está reservado a
acontecer no dia do juízo, que corresponde a ressurreição dos mortos/segunda vinda de
Cristo (cf. 1Co.15:22,23). Isso se confirma nas palavras de Pedro na sua segunda epístola:

“Estes são fontes sem água, névoas levadas por uma tempestade, para os quais está
reservado o negrume das trevas” (2 Pedro 2:12-17)

Os pecadores estão “reservados” para o castigo final, intitulado “negrume das trevas”, para o dia do juízo, ou seja, não estão queimando ainda. Ele jamais faz menção a um “inferno de fogo em atividade”, pelo contrário, intitula os ímpios como “reservados para serem castigados no dia do Juízo” (cf. 2Pe.2:9), para o que “acontecerá aos ímpios” (2Pe.2:6), aos quais está “reservado o negrume das trevas” (cf. 2Pe.2:17). Nada disso condiz com um fogo eterno em andamento, mas com um acontecimento futuro que ainda não lhes sobreveio.

Debatam esse assunto no Comentário deste blog. Troquem ideias entre vocês. Respondam uns aos outros, além de minhas respostas. Trocar conhecimento é sempre enriquecedor para todos. Que nosso Pai nos conduza a TODA verdade. A sua verdade!

“Quem tem ouvidos para ouvir, OUÇA.”

ARTIGOS RELACIONADOS NO LINK ABAIXO:
Inferno NÃO é fogo ETERNO! (11)

Fonte:
BANZOLI, Lucas. “A Verdade Sobre o Inferno”

20 Comments

  1. Ezequiel

    Olá, gostaria de saber sobre este versículo, que diz que o inferno deu os seus mortos, isto não quer dizer que havia então mortos lá ?
    Apocalipse 20
    13 E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras. 14 E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte

    • Evangelho Perdido

      Olá, Ezequiel!

      “O mar entregou os mortos que nele havia, e a morte e o Hades entregaram os mortos que neles havia; e cada um foi julgado de acordo com o que tinha feito. Então a morte e o Hades foram lançados no lago de fogo. O lago de fogo é a segunda morte” (Apocalipse 20:13-14)

      Este verso é complexo para os imortalistas, pois eles creem que o Hades seja o inferno (i.e, um lugar de sofrimento com fogo), e também creem que o lago de fogo seja um lago de fogo literal, também com sofrimento. Então você já pode pensar na cena em que um lago de fogo literal é lançado para dentro de outro lago de fogo literal! Essa é a maravilhosa teologia imortalista: um inferno sendo lançado para dentro de outro inferno. Complexo e confuso, não é?

      Mas, entrando no espectro bíblico, o Hades (o Sheol do Antigo Testamento), não tem nada a ver com um lugar de sofrimento ou “inferno”, mas é, primariamente, a sepultura coletiva e universal de todos os mortos. Isso traz novamente sentido ao texto violado pelos imortalistas. O mar dá os seus mortos (i.e, todos os corpos que estavam dentro dele), o Hades também (i.e, todos os corpos que estavam na terra), e a morte também (i.e, todos os corpos que já haviam deixado de existir e não estavam mais em algum local físico da terra). Nenhum trata de almas incorpóreas sendo religadas a corpos físicos, nem de inferno sendo lançado em outro inferno. Isso é bizarrice imortalista, fruto da teologia deturpada deles.

      O sentido básico do texto é que aquelas pessoas que haviam passado pela primeira morte agora passariam pela segunda morte (simbolizada pela figura do “lago de fogo”), que é a morte final e definitiva. A diferença entre a primeira e a segunda morte é que a primeira é uma morte temporária, porque existe ressurreição para o juízo e castigo, enquanto a segunda morte é eterna, porque o morto não irá ressuscitar para voltar à vida nunca mais. Esta é a “segunda morte”.

      Um abraço carinhoso.

      • Esequiel

        Onde estão as almas dos impios mortos ?

        • Charles Mendes

          Ezequiel tanto os ímpios mortos como os salvos em Cristo estão no mesmo lugar no sono do esquecimento e serão despertados quando Jesus voltar aí sim cada um será julgado conforme as suas obras. Leia Eclesiastes capítulo 9 vers:4 ao 6

        • Charles Mendes

          Leia também Apocalipse 20 vers: 11 AO 15

  2. Flavio

    Olá! Queria saber sobre os cristãos que dizem que foram arrebatados ao Inferno e viram muitas pessoas lá. E depois dão testemunho do que viram. Como fica?

    • Evangelho Perdido

      Olá, Flávio! Será sempre muito bem-vindo ao blog, ok?

      Alguém pode ter tido uma visão de pessoas no Lago de Fogo? Sim, por que não? Não podemos duvidar que Deus possa ter dado uma visão como essa a alguém em toda a história até hoje. Apesar que a Bíblia, nossa regra de prática e fé, absolutamente não relata nenhum caso de alguém que foi ao inferno e voltou, ou teve sequer uma visão do mesmo. Mas, a questão é que, o que temos visto muito por aí são pessoas “visitando” o inferno como se ele estivesse em pleno funcionamento hoje. Se alguém teve uma visão do futuro, nenhum problema, caso Deus tenha um propósito em mostrar isso a alguém, claro. Mas, alguém afirmar que foi ao inferno e o viu em pleno funcionamento, descrevendo que viu a pessoa famosa X e Y, que viu os compartimentos e isso mais aquilo, como se o mesmo estivesse agora “torrando” milhões de pessoas, esteja certo que é uma palavra enganosa, mentirosa, consciente ou inconscientemente.

      E posso afirmar isso baseada em quê? Baseada na Palavra. Vamos supor que realmente alguém tenha isso nesse lugar (geena) hoje (coisa completamente sem propósito)… O que essa pessoa definitivamente não encontraria lá? Não encontraria PESSOAS.. Nem o próprio Diabo. E NÃO HÁ PESSOAS hoje neste lugar por um simples motivo: Ora, o inferno (leia-se geena, não hades) ainda não foi inaugurado. Quem vai inaugurar o inferno é a besta e o falso profeta (Ap 19:20). O diabo não está no inferno e sim nos ares (Jó 1:7; 2:2, Ef 6:12), e futuramente será lançado no lago de fogo (Ap 20.10). Os ímpios só serão lançados no inferno (geena) após o juízo final (Ap 19:20)… e serão aniquilados como mostrei, biblicamente, neste estudo tão extenso. Se não leu todos os artigos dessa série de estudos, CLIQUE AQUI para ver todos os artigos da categoria “Inferno NÃO é fogo ETERNO! Eu postei 11 artigos sobre a questão. Não deixe de ler todos.

      Meu pensamento claro sobre essa questão é que o Diabo tem se divertido muito usando essas pessoas. Alguém dizer que foi ao inferno mostra como a igreja está cheia de pessoas doentes e sugestionáveis, que aceitam qualquer “revelação” como se fosse da parte de Deus, nem cogitando que possa ser “visões” e “sonhos” inspirados por Satanás. E aceitam porque desconhecem a Palavra e o que ela diz sobre a questão. Se conhecessem, imediatamente rejeitaria tal visão ou sonho. Mas existem também pessoas vis, desonestas, misturadas aos que realmente foram comprados pelo sangue do Cordeiro. Pessoas com o propósito claro de CONFUNDIR os santos distraídos. E estão tendo muito sucesso.

      Tudo o que precisávamos saber a respeito do inferno, Deus já revelou através da sua Palavra, a Bíblia. Basta estudá-la para obter as respostas sobre este assunto. Não precisamos, de forma nenhuma, de extras-revelações heréticas!

      “Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos;” (2 Timóteo 4.3)

      “Porque os tais são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, transformando-se em apóstolos de Cristo. E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus próprios ministros se transformem em ministros de justiça; e o fim deles será conforme as suas obras” (2 Coríntios 11.13-15)

      Abraço carinhoso e obrigada por comentar no blog.

  3. Kelvin Rauzer

    Me tire uma dúvida, por favor.
    Já que o tormento ou sofrimento, seja lá como chamemos, esta reservado a um período após o juízo, porque lá em apocalipse 20:13 diz e o inferno deram os que nele haviam?

    E essa segunda dúvida eu já tenho noção da resposta mas queria que me esclarecesse pra que não haja dúvidas, se a palavra inferno é uma palavra derivada do latim e que obviamente não se encontra nas escrituras em grego, como que ficaria a tradução na íntegra esse trecho de apocalipse :
    20:14: “E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte.

    Desde já agradeço gosto muito de seus artigos.

    • Evangelho Perdido

      Olá, irmão Kelvin.
      A tradução de apocalipse é simples como está parecendo que é: “E a morte e a sepultura foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte”. A segunda e DEFINITIVA, pois os que ali forem jogados, virarão pó.

  4. Henrique

    Olá, ótimo canal. Para começar, quero deixar claro que não creio que o ímpios sofreram eternamente no lago de fogo. Acredito que serão punidos até serem literalmente extinguidos da existência. Contudo, tenho muitas dúvidas a respeito de uma realidade póstuma. Tanto os imortalistas e mortalistas possuem bons argumentos. Quanto ao texto de II Petro 2:9, é uma passagem realmente intrigante. Mas notei que o artigo deixou de fazer algumas referências quanto a estrutura sintática do texto grego. Olha, a razão de muitas versões trazerem a tradução “reservar, sob castigo, os ímpios” não é por qualquer questão imortalista, mas sim por causa do particípio presente. Muitas traduções não se importaram com essa questão, por isso traduziram para “reservando-os para serem castigado no dia do Juízo”, o que não reflete a tradução literal do grego. Não se trata de
    uma ordem nas palavras, mas sim do particípio da palavra καλαζομένους. A palavra traduzida como “para ser punido” (καλαζομένους) é um particípio presente, não o futuro, e é melhor traduzida, como na versão revista, “sob punição.” Olha, embora eu não concorde com muitas interpretações imortalista, eu também discordo da forma com o artigo aqui tratou este texto. Sobre este texto de II Pedro 2:9 eu também pensava da mesma forma que o artigo do site propõe sobre essa passagem. Se está com dúvida, veja o que dizem os Léxicos sobre essa passagem (http://biblehub.com/interlinear/2_peter/2-9.htm). Clique na parte que diz “Comment”.

  5. Humberto C. Garcia

    Cris Bom dia tudo bem ?

    Pelos argumentos biblicos então , apos a morte ficamos dormindo aguardando a resurreição no ultimo dia . Então , temos alguma explicação biblica de como deve ser isso ? Após a morte , então não existe mais estado consciente nenhum ? seria isso ? então isso vai muito próximo ao pensamento dos ateus e de muitos, que tudo se acaba , simplesmente e não existe um “outro lado”, uma vida após a morte , só haverá na ressureição do ultimo dia , seria isso mesmo ?

    Muitos argumentam exatamente isso que com a morte tudo acaba … e entao , mesmo com punição no ultimo dia , não faz muito sentido … a pessoa morreu como ímpio . Depois de morta , acabou , não sente mais nada e desaparece …. aí no ultimo dia , Jesus , ressucita ela dos mortos , com todos os outros ( recobra a consciencia) , ela é julgada e depois é destruida de novo , para a eternidade , ficando novamente como estava , sem consciencia de nada …

    Sei que nosso Deus , todo poderoso tem seus designos , mas gostaria de ter uma ideia de qual é visão biblica sobre essa questao . Sei que somos limitados na nossa compreesão mas não faz muito sentido isso : A pessoa morre ( desaparece ) , ressuscita , é julgada e desaparece de novo …

    Agradeço demais a atenção ,
    e muito obrigado por compartilhar conosco esses ensinamentos .

    Deus te abençoe .

    • Evangelho Perdido

      Caro Henrique,
      em nossa limitada visão, parece-nos inconcebível que nosso Pai vá apenas ELIMINAR os ímpios de uma vez por todas. Muitos não se conformam com isso, pois acham POUCO sofrimento para os ímpios. Mas a justiça do nosso Pai é PERFEITA e a nossa não. Jamais ele condenaria ETERNAMENTE homens e mulheres que ele criou dentro de um tempo LIMITADO. Nem a Satanás Ele condenará eternamente, pois o mesmo também é apenas uma criatura Sua e não é eterno como o Pai.

      O pensamento dos ateus e de muitos é que haverá apenas uma morte e tudo ACABARÁ para sempre. Morreu e acabou pra sempre. Sendo a própria morte em si o FIM. Mas as Escrituras falam de DUAS MORTES. A primeira e a segunda. Não sou eu quem estou afirmando, mas a Palavra. A primeira será antes do julgamento e a segunda após o julgamento. A primeira morte acontecerá de diversas maneiras, cada um de uma determinada forma. A segunda ocorrerá quando os condenados forem lançados no LAGO DE FOGO. A primeira morte será interrompida. A segunda morte será ETERNA.

      Os que NÃO ressuscitarem na primeira RESSURREIÇÃO, Henrique, ressuscitarão para a MORTE ETERNA. É simples assim. Não deve nos importar se faz sentindo ou não. O processo não é complexo nem incompreensível. Os não vencedores que morrerem a primeira vez PRECISAM ser julgados. E este julgamento só acontecerá no final de tudo, após a ressurreição dos santos e não ANTES, pois o ÚLTIMO inimigo a ser vencido será a MORTE. Por isso todos os ímpios que morrerem ESPERARÃO, apagados, como que dormindo, sem consciência. Essa é a sequência que o Pai determinou.

      Pessoas irão morrer a primeira morte e depois ressuscitar para a MORTE ETERNA. Serão julgadas e lançadas no LAGO DE FOGO. E é nesse lugar que haverá choro desesperador, ranger de dentes. Será um terrível lugar de lamento. Ficarão aí até virarem CINZA, como diz a Palavra.

      Com isso, todos os ímpios serão EXTERMINADOS. O mal e o sofrimento não mais existirão em lugar nenhum. Preste atenção.. O MAL E O SOFRIMENTO NÃO EXISTIRÃO MAIS EM LUGAR NENHUM.

      “Estes sofrerão penalidade de eterna destruição, banidos da face do Senhor e da glória do seu poder”. (2 Tessalonicenses 1:9)

      A destruição, Henrique, pressupõe aniquilamento. A destruição dos ímpios é eterna (aionios), não porque o processo de destruição continua para sempre, mas porque os resultados são permanentes. De igual modo [assim como nesse texto de 2 Tessalonicenses 1:9], a “eterna destruição” de Mateus 25:46 é eterna porque seus resultados são permanentes. É um castigo que resulta em sua eterna destruição ou aniquilamento.

      Veja os acontecimentos relatados por João a partir de apocalipse 20. Esse será o desfecho para os ímpios conforme a Palavra:

      1º Depois do milênio, Satanás será solto e ainda enganará a muitos da semente dos homens (e não os santos vencedores, filhos do Eterno) e os convencerá a cercar e destruir o acompamento dos santos (em Jerusalém), mas o Eterno acabará com a festa e lancará a Besta e o Falso Profeta no lago de fogo (cf. Ap.20:7-10).

      2º Os efeitos dessa destruição duram eternamente (cf. Ap.20:10). João usou de hipérbole nesse trecho, como em muitos pontos outros da Palavra escritores fizeram. O termo aion NÃO é utilizado para designar necessariamente algo sem fim. Como é que bem no Apocalipse, repleto de alegorias e hipérboles, aion deveria significar literalmente um período sem fim? Se é assim em tantos exemplos bíblicos como vimos no artigo, por que o mesmo não poderia se repetir em Apocalipse 20:10? Este texto nada mais é senão uma hipérbole empregada por João, assim como outras várias que ele emprega ao longo de todo o livro. Hipérbole é “uma figura de estilo que incide quando há exagero ou demasia propositada num conceito, expressa de modo a definir de forma dramática aquilo que se ambiciona vocabular, transmitindo uma ideia aumentada do autêntico. Em palavras mais simples, hipérbole é ‘expressar uma ideia de forma exagerada’. Pelo menos 70 vezes na Bíblia, a palavra “aionios) qualifica objetos de uma natureza limitada e temporária; assim, indica apenas uma duração indeterminada. Quando lemos que Deus é ‘eterno’, isso é verdadeiramente eterno, como entendemos o termo. Quando lemos que as montanhas são ‘perpétuas’, significa que duram tanto quanto possível durar uma montanha. Quando lemos que a condenação no fogo será eterna, significa que duram tanto quando possível um corpo aguenta até virar cinzas. O que é eterno são os EFEITOS.

      3º Os ímpios e não vencedores ressuscitarão, serão julgados e também lançados no lago de fogo, onde já estarão a Besta e o Falso profeta. (cf. Ap. 20-11-15)

      4º O tormento como um processo dura até que Deus crie novos céus e nova terra (cf. Ap.21:1), pois este fogo consumidor se passa na superfície desta terra (cf. Ap.20:9) e logo em seguida é dito que Deus criará uma “nova terra” (cf. Ap.21:1), sem qualquer menção de os ímpios do verso 9 terem sido “transferidos” para outro ponto do Universo onde continuariam a queimar eternamente.

      5º Nessa nova criação de Deus já não mais haverá o “inferno” (lago de fogo), porque não mais haverá morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, porque essas são coisas da criação passada (cf. Ap.21:4), a que vivemos hoje.

      7º Portanto, se não há morte, não pode haver um processo eterno de pecadores sofrendo morte eterna consciente; se não há tristeza, não há parentes e amigos nossos que estarão ardendo literalmente em um lago de fogo e enxofre, o que nos causaria no mínimo tristeza; se não há choro, então o local de choro e ranger de dentes já chegou ao fim; e, se não há dor, então não há pessoas queimando e sofrendo dores horríveis para sempre em um lago de fogo.

      Todas essas coisas – dor, morte, tristeza, choro e luto – são características presentes nesta criação, mas não na nova criação de Deus. Essas novas promessas de Deus com o estabelecimento de novo Céu e nova terra entram em direto contraste com a “antiga ordem” (cf. Ap.21:4), isto é, a ordem presente. A promessa de Deus é que nessa nova criação, diferentemente desta criação atual, não haverá mais nada disso! Mas se existisse inferno eterno, pecadores pecando eternamente, criaturas murmurando e blasfemando contra Deus para todo o sempre, choro e ranger de dentes sem fim, tristeza e angústia da parte daqueles que veem os seus amigos e parentes sendo torturados sem perdão e das próprias pessoas que estão sofrendo horrivelmente… então nada de diferente em relação a essa ordem presente existiria na prática.

      Para sempre haveria um ponto negro no universo, para sempre haveria o mal, o pecado, os pecadores, o diabo, a blasfêmia, a morte, a dor, o pranto, a tristeza, o sofrimento, o inferno. A única forma de destruir o mal para estabelecer uma nova ordem que seja totalmente diferente da atual é eliminando os que praticam o mal. Só assim teríamos uma nova ordem repleta de paz e de harmonia. Só assim a natureza teria a gloriosa revelação dos filhos de Deus. Só assim o bem teria uma vitória definitiva e conclusiva sobre o mal. Só assim que o mal e o pecado seriam definitivamente e eternamente extintos da criação de Deus.

      Continue lendo os artigos do blog. Leia todos que puder. E sempre que tiver alguma dúvida, entre em contato, tá bem?

      Um abraço carinhoso.

      • Não entendi como, na segunda morte, como vc disse, vai ter sofrimento eterno até virarem cinzas… Como isso se lá eles vão está em um estado espiritual? Não está muito claro essa interpretação.

        • Evangelho Perdido

          Olá, Adriano.

          Os homens e mulheres que forem jogados no lago de fogo estarão no seu corpo e não em um “estado espiritual”. Haverá uma ressurreição após o milênio, ou seja, as pessoas que forem condenadas ao lago, estarão com seus corpos físicos, compreende?

          Para entender todos os detalhes das ressurreições e do milênio também, leia os artigos do link abaixo:
          http://www.evangelhoperdido.com.br/category/as-duas-ressurreicoes/

          Um abraço carinhoso.
          Cris

      • Teologia Simples

        Olá Evangelho Perdido, muito bom o seu blog. Tenho uma questão:

        Você escreveu: “Por isso todos os ímpios que morrerem ESPERARÃO, apagados, como que dormindo, sem consciência”. Isso significa que entre o período iniciado pela morte fisica e finalizado no dia do juízo do ímpio continuou havendo de alguma maneira a sua existência? Pois ele morreu, mas ainda “espera”, “dormindo sem consciência”.

        Me parece que para essa experiência de espera como que um sono não significa necessariamente “não existência” e “não vida”. A existência não é interrompida quando alguém está dormindo.

        Ainda mais,
        Seria altamente impróprio, mesmo que figurativamente dizer que uma pessoa morta “espera” alguma coisa, se de fato uma pessoa morta não existe. E se uma pessoa deixa de existir na morte, então a “ressurreição” não tem nada a ver com uma pessoa que viveu e morreu, mas é a criação de um outro ser inteiramente novo.

        Quando alguém diz, “a pessoa que morreu espera a ressurreição”. A pergunta a ser respondida é: que “pessoa”? Quem, na verdade, está esperando a ressurreição? Espera implica antecipação. A antecipação é uma função da consciência que requer uma existência.

        Seria a primeira morte apenas a morte do corpo e a segunda morte (no juízo), após a ressurreição do corpo, o aniquilamento definitivo de ambos (corpo e espírito) do ímpio?

        Pode me explicar?

        • Evangelho Perdido

          Olá, irmão (ou irmã)..rs.

          Ótima observação. Vou ajustar esse trecho no artigo, pois, quando quero dizer ESPERARÃO, não é literal.. como que estando em ALGUM LUGAR, apagado, esperando alguma coisa… Quando digo DORMINDO, quis dizer (mas não deixei claro, e agradeço você por isso) em um sentido figurado, pois um ser humano no túmulo deixa de existir, não está em LUGAR ALGUM.. mas apenas sepultado, até seu corpo virar pó.. Ninguém está DORMINDO literalmente em algum lugar.. Ninguém está de forma incorpórea, deitado e adormecido em algum lugar, esperando a ressurreição.. NÃO É ISSO QUE QUERO DIZER!… Quando lemos na Palavra a expressão “dormindo” se referindo a morte, é em um sentido figurado, pois na ressurreição será como que um despertar de um sono.. MAS NÃO LITERAL!……………………

          Agora, quanto a pergunta: “Seria a primeira morte apenas a morte do corpo e a segunda morte (no juízo), após a ressurreição do corpo, o aniquilamento definitivo de ambos (corpo e espírito) do ímpio?”
          A morte é sempre da totalidade da pessoa, pois não existe essa separação. Não somos divididos. SOMOS UMA ALMA VIVENTE!!… E não TEMOS UMA ALMA VIVENTE.. A primeira morte, antes da ressurreição, é apenas um intervalo até o julgamento de todos, santos e ímpios, no final. Mas, sim, a segunda morte será DEFINITIVA!!.. Aniquilamento total dos ímpios e dos santos que tiverem seus nomes riscados do Livro da Vida…. Queimarão até virarem pó.. e nunca mais voltarão a vida!

          Espero ter tirado suas dúvidas. Se não, estarei por aqui…. Agradeço sua contribuição, irmãozinho.

          Um abraço carinhoso.

  6. Joelma M.

    Eu também não acredito na imortalidade da alma no fogo eterno, no entanto, você com está abordagem tem o mesmo pensamento que algumas denominações que dizem que são seitas. Como então se são seitas e podem estar corretos enquanto a está forma de ensinamentos deles. E quanto à parábola do rico e o mendigo no seio de Abraão? Me esclareça este ponto de vista.

    • Cris Molulo

      Olá, Joelma!
      sobre a parte do seu comentário questionando sobre esse ensino ser também pregado por algumas seitas, o que vai esclarecer este ponto são os meus artigos referente a confusão de doutrinas (clique aqui e leia os dois). Nestes artigos eu deixo claro que NENHUMA denominação está com a VERDADE inteira. Para cada grupo deste o Eterno deixou parte da verdade. Espalhou sua verdade como vez com as línguas na Torre de Babel. Em meio a tantas heresias pregadas pelos adventistas, batistas, testemunha de Jeová, presbiterianos, etc, etc, existe um ponto ou outro de verdade. Não importa se para os grupos tradicionais o grupo X ou Y é considerado seita. Estes também tem pontos verdadeiros. Leia os artigos que falo sobre isso para entender bem o que quero dizer aqui.

      Em relação a Parábola do Rico e Lázaro, tenho o artigo que trata disso. Clique aqui e leia com muita atenção.

      Clique aqui e leia TODOS os artigos que tratam sobre a FALSA doutrina da Imortalidade da Alma.

      Um abraço e continue voltando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *